Série de entrevistas do Jornal da Ipanema com os candidatos a prefeito recebe João Leandro. Ele diz que os 3 principais desafios a serem enfrentados são: segurança (drogas e furtos); austeridade (equilíbrio entre arrecadação e gasto) e volta dos contêineres de lixo

jlserieradio

O candidato à Prefeitura de Sorocaba, João Leandro (PSDB), deu sequência à série de entrevistas com os candidatos, realizada pelo Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) dentro da coluna O Deda Questão da Rádio Ipanema. A entrevista pode ser acompanhada ao vivo em www.ipafm.com.br. A ordem dos entrevistados foi definida através de sorteio, na presença dos representantes das assessorias dos candidatos. Na segunda-feira foi a vez do candidato do PRB, Hélio Godoy. Amanhã será a vez de Crespo (DEM). Na quinta-feira é a vez de Glauber Piva (PT) e encerrando esta primeira série será Raul Marcelo (Psol). João Leandro respondeu questionamentos meus e teve a participação de José Roberto Ercolin e Paulo Roberto Jr.

Três principais problemas

João Leandro disse que caberá ao próximo prefeito se empenhar na segurança. Ele reconhece que é uma questão de Estado, mas na qual o município não pode ficar de braços cruzados: “Hoje nós temos uma questão importante a ser observada que é a segurança. Eu pretendo ampliar o combate ao tráfico de drogas nas escolas”, afirma. “A cidade de Sorocaba tem hoje o maior programa de Infovia do interior brasileiro. Todos os prédios municipais estão ligados com fibra ótica, o que permite transmissão de dados em todos os ramos de administração e, principalmente, na área de segurança”.

O candidato ainda destaca que, em sua época de prefeitura, quando era secretário de segurança comunitária, aumentou o número de câmeras de videomonitoramento para a Guarda Civil Municipal. “A partir do momento que o prefeito dá condição e o videomonitoramento é levado para outros cantos da cidade, com certeza vamos dar mais um golpe duro na criminalidade de Sorocaba”, enfatiza.

O segundo problema, apontado por João Leandro, é na verdade um desafio para o próximo prefeito: a arrecadação de dinheiro para administrar o município. “Temos que melhorar a eficiência da máquina pública”, ressaltou. O candidato ressaltou que o desafio será o de manter o equilíbrio entre o arrecadado e o a ser gasto. Ele disse que concorda com o remédio do prefeito Pannunzio, bastante criticado por cortes recentes em diversas áreas, mas discorda da forma como este remédio foi aplicado. Dizendo que era possível ter cortado gastos sem criar as reclamações que foram criadas.

O terceiro o problema é a falta dos contêneires de lixo. Segundo ele, em seu possível mandato, o município ficará 100% abastecido com os dispositivos de recolhimento de lixo. Mas o que chamou a atenção neste item é que ele afirmou que até dois meses atrás não citaria a falta de contêiner como um problema a ser colocado num tipo de pergunta como esta, onde ele tem de escolher os 3 principais. Disse que em dois meses de campanha, ouvindo o sorocabano, se surpreendeu com o fato do pedido da volta do contêiner ser uma realidade. Quando ele deu esta resposta, afirmei que ele concordava, então, com o candidato Hélio Godoy que na véspera havia dito que um problema de Sorocaba é a ausência do prefeito nas ruas, ouvindo o cidadão. João discordou, mas polemizar com Hélio Godoy.

Pannunzio ausente da campanha eleitoral

Em certo ponto, Deda questiona se o prefeito Pannunzio está escondido em sua campanha eleitoral. “Pannunzio não está escondido. Ele é o funcionário público número 1 de Sorocaba. Não teve um professor, guarda municipal com atraso de um dia sequer no salário. A forma de não aparecer na campanha é uma estratégia, também”, respondeu. Ainda afirmou que em suas campanhas haverá mensagens de Aécio Neves, Geraldo Alckmin e outros políticos tucanos.

Candidato foge de dar nota ao governo Pannunzio

Com o governo desaprovado pela população sorocabana, segundo recentes pesquisas (um novo resultado será dado pelo Ibope/TV Tem na quinta-feira), e longe da campanha onde predomina exclusivamente o deputado Lippi,, João Leandro foi questionado por mim sobre que nota daria ao governo Pannunzio, ele responde que “é uma nota azul, aprovada”. Mas fugiu de dizer algo entre 0 e 10.

Candidato explica em que é diferente

João Leandro foi muito elogioso ao prefeito Pannunzio em suas respostas e chegou a dizer que ele é uma das reservas morais da política brasileira. Diante disso, quis saber porque ele se intitula diferente de Pannunzio. O candidato disse que é diferente somente no estilo pessoal dos relacionamentos, dizendo que Pannunzio é mais fechado ao trato com os outros, inclusive com jornalistas, e que ele fala mais e é mais aberto. Quanto à retidão ele disse que é igual a Pannunzio.

Outros temas

João Leandro ainda falou sobre a falta de dinheiro, problemas na educação, saúde e aspectos pontuais de programas que não funcionam como o cartão do IntegraBike.