Prefeito está em Brasília para, enfim, assinar convênio com Ministério da Saúde referente à UPA do Éden que funciona há 13 meses exclusivamente com dinheiro municipal. Apenas após o convênio virá dinheiro do governo federal para a Prefeitura

upaeden

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro do Éden foi inaugurada pelo prefeito Pannunzio no dia 15 de agosto de 2015, passando a integrar a rede municipal de urgência e emergência e tem capacidade para realizar 33 mil atendimentos por mês. Ela funciona em sistema terceirizado com a entidade BOS que tem a responsabilidade do investimento em equipamentos, mobiliários e utensílios necessários ao funcionamento da UPA do Éden e, em contrapartida, recebe o valor de custeio mensal será de R$ 2.141.812,02. O prazo do convênio é de dezoito meses, com o custo global estimado de R$ 38.552.616,36.

A UPA do Éden segue o padrão de atendimento das outras três Unidades Pré-Hospitalares (UPHs) da cidade – Zona Norte, Zona Oeste e Zona Leste – e deveria receber dinheiro federal. Mas 13 meses depois de entrar em funcionamento nenhum centavo veio para cá porque o convênio não foi celebrado. O processo de impeachment pode explicar o travamento do governo federal. Com a definição deste problema, o prefeito Pannunzio viajou no final da tarde hoje para Brasília onde foi chamado para assinar, enfim, o convênio entre Ministério da Saúde e a Prefeitura para o repasse de verbas para o funcionamento da UPA do Éden. O dinheiro federal virá a partir de agora. O que foi gasto pela prefeitura é exclusivamente responsabilidade da prefeitura.

Comentários

Leia também