A corrida para vencer um concurso

Nada contra o trabalho do meu colega Oliveira Júnior de organizar em seu portal de notícias RMSNews o Prêmio Melhores de 2021 da Gestão Pública e Política de Sorocaba e Região Metropolitana. A premiação é uma parceria do Oliveira e a sua equipe Formadores de Opinião Independentes. Esse portal e seus integrantes decidiram dar o prêmio e escolherem três vereadores para serem votados: o bolsonarista Dylan, a lulista Iara e o adesista (não importa o governo, o MDB adere) Dini.

Como disse, faz parte do “negócio” do Oliveira esse marketing.

O que não entendo, e me assusta, é a campanha que os candidatos estão fazendo em suas redes para que as pessoas votem neles. Os três estão caçando votos. Paulo Betti pede voto para a Iara ser a vencedora deste concurso do mesmo modo como pede ao Lula ser o presidente do Brasil.

Há algo de errado nisso.

E acho que o erro é comigo.

Não vejo um prêmio como algo que “pode melhorar a reputação de uma empresa para o público em geral, novos clientes, doadores, investidores e outros”, como ensina o dicionário.

Eu, quando vejo que algo ou alguém é premiado, já fico desconfiado, pois no prêmio está o esforço para o recebimento dos votos. Não está a qualidade. Repito, nada contra o prêmio do meu colega Oliveira Júnior. Tudo contra essa corrida da Iara, Dini e Dylan por serem os vencedores.

Dylan pode ganhar esse prêmio com 100% dos votos, o que é impossível devido a disposição de Iara e Dini em também serem os vencedores, e ainda assim será bolsonarista, antivacina, negacionista, ou seja, será o que é. Iara, perdendo, será a mesma lulista. Dini, o mesmo adesista. Ou seja, a reputação deles será a mesma.

Eleição é sempre a escolha do mais organizado, nunca o melhor, o mais preparado, qualificado, capacitado…

Muitas vezes perder é o reconhecimento da escolha dos melhores valores.

PS – Esta postagem foi corrigida. Inicialmente informei incorretamente que o jornalista Reinaldo Galhardo fazia parte da elaboração do prêmio.

Comentários

Leia também