O presidente plantou ou colheu no primeiro dia útil de 2022?

O primeiro dia útil do ano novo começou com o intestino do presidente Bolsonaro obstruído, ou seja, sem ele conseguir fazer cocô. Por isso foi internado e até a volta de seu médico das férias, o que aconteceu nesta madrugada, havia a dúvida se ele passaria por cirurgia, o que foi descartado no momento.

Nunca antes situação de qualquer outro presidente gerou tantos memes, comentários e críticas… que são apenas reflexo e consequência do comportamento de Bolsonaro. Ele colhe o que planta.

Aí me ocorre a dúvida: neste primeiro dia do ano da eleição, Bolsonaro está colhendo o que plantou ou essa dor, internação, recolhimento é uma nova plantação?

Me parece que ele tem intenção de voto suficiente para estar no 2º turno da eleição assim como Lula. E me parece, igualmente, que ele não tem condições de reunir em torno de si votos para derrotar Lula num pleito de apenas os dois. E não apenas eu tenho essa percepção, a entidade chamada “mercado” também começa a entender que Bolsonaro não é o melhor para derrotar Lula. A saída seria, então, convencer Bolsonaro a sair de cena.

Será que é isso que Bolsonaro fez no primeiro dia do ano da eleição, plantou a sua saída da corrida eleitoral? Em se tratando dele, tudo é possível. Bem negociado, com boa vantagem, certamente ele topa abandonar a ida ao 2º turno.

Para Lula, já escrevi aqui, o ideal é enfrentar Bolsonaro. Sem ele, é uma eleição incerta. Sérgio Moro, o juiz, já pensa em se candidatar ao Senado. O que significa que os 20% dos votos bolsonaristas migrariam para Dória, Ciro, Pacheco…

Algum leitor pode estar pensando: Não, Deda. Seu pensamento está equivocado. Bolsonaro plantou uma nova comoção nacional que vai lhe dar força para aglutinar o país no antilulismo novamente. Xé… Se essa era sua intenção, não deu certo. Quem não tirou sarro do problema do presidente, ignorou. Me parece que sua “magia” não encanta mais ninguém que não seja seu súdito. Ainda bem! Pelo bem dos brasileiros mais necessitados. E são muitos.

Comentários

Leia também