A pandemia não acabou

É esperada uma terceira onda da Covid-19 em Sorocaba, conclusão a que chegou o Comitê de Avaliação e Enfrentamento do Coronavírus, a partir de dados recentes da doença.

Depois de acabar com a fila de espera na UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para internações de pacientes de Coronavírus, Sorocaba voltou a registrar fila de pacientes esperando por uma vaga desde a semana passada.

O Comitê de Avaliação e Enfrentamento do Coronavírus é o órgão responsável por comandar as ações de combate e prevenção à doença em Sorocaba, e que trabalha em conjunto com secretarias municipais e entidades da sociedade civil, como Centro Regional das Indústrias e Associação do Comércio, sob a supervisão da Vigilância Epidemiológica Municipal e Secretaria Municipal da Saúde. Ele foi criado no ano passado a partir de determinação do governo federal.

Um problema está no uso das máscaras. Ou melhor, no não uso delas. É comum se ouvir, e ver em redes sociais, pessoas ligadas ao presidente Bolsonaro que no começo negavam a vacina e o uso de máscara, e que depois se viram obrigadas a reconhecer a eficiência dos dois, perguntarem: alguém pode me dar uma explicação científica do motivo dos vacinados seguirem usando máscaras? A resposta é simples. Os vacinados criam anticorpos, após tomar a vacina, para que seu organismo se defenda do vírus e, caso adoeça, seja de maneira branda. Portanto, a máscara impede que o vacinado seja um transmissor do vírus para o não vacinado. Daí a importância da vacinação em massa, quando isso ocorrer, o uso de máscara não será mais obrigatório. Como, aliás, já acontece nos Estados Unidos, país que conseguiu num tempo recorde vacinar mais da metade da população. No Brasil está taxa ainda está abaixo dos 25%.

É importante ainda duas ressalvas: 1) quem tomou a 1ª dose necessariamente tem de tomar a segunda para estar imunizada, ou seja, apenas a 1ª dose não é suficiente para imunizar quem tomou. 2) após as críticas verbais do presidente Bolsonaro e do ministro Guedes à China (basta dar um pesquisada para ler as asneiras que ambos disseram) os insumos para que o Instituto Butantan e FioCruz, que vêm daquele país, coincidentemente, estão atrasados. Já se registra falta de vacina no Brasil.

O que fazer?

Sem vacina, resta o inicial: evitar aglomeração, usar máscara, lavar bem as mãos e usar álcool. Do contrário, a sociedade vai novamente retroceder de fase e novamente haverá o fechamento de comércio e afins. A pandemia não acabou. E tem matado muito. Mais de 430 mil brasileiros perderam a vida. É preciso sentir a dor dessas partidas. Não podemos banalizar este sentimento.

Comentários

Leia também