Aluno Nota 10 do “mestre” OC!

Não é o método que me assusta, mas o ingênuo papel das pessoas, dos veículos de comunicação, das redes sociais de ignorarem o método e alimentarem uma ação deliberadamente pensada, estudada e usada com um fim específico, o de ver propagado, primeiramente, sua pessoa, depois o seu credo e por fim a sua ideologia.

Essa ingenuidade cria ignorantes… Que vão às urnas… E dão 2 mil, 3 mil… sei lá quantos mil votos a um sujeito que se diz “conservador”. Um sujeito que usa a estrutura pública para disseminar preconceitos, ódios e o individualismo. Que é negacionista, sem empatia e não reconhece o mal que suas atitudes, seus ideais e sua ideologia fazem de forma direta à sociedade. São 603 mil mortes por Covid-19 e pelo menos 400 mil dessas mortes poderiam ter sido evitadas se o tal sujeito e o que ele sustenta não dessem base e apoio ao negacionista maior desse país, o infeliz do presidente da república.

Antes do ataque histérico na quinta-feira em plena sessão do Poder Legislativo, o vereador já havia colocado em sua cabeça uma máscara de papelão do presidente Jair Bolsonaro. Uma micagem que não deu o “retorno” esperado como agora ele obteve com as pessoas espontaneamente compartilhando em whatsapp, em facebook, instagram, portais de veículo de comunicação.

O que o vereador de primeiro mandato Dylan Dantas fez na Câmara de Vereadores é uma aplicação prática do que ele aprendeu com o seu tutor, Olavo de Carvalho, que caracteriza o seu discurso ensinando seus alunos (que pagam para ouvi-lo) a recusarem o que diz o bom-senso e atacar com termos chulos, se possível, ou tom de histeria, o que está estabelecido com o intuito de chocar quem lhe ouve. Dylan vai ter nota 10 do “mestre” OC!

Não bastasse essa situação toda, assustadora pra mim, pois demonstra o nível tão baixo da sociedade sorocabana, uma situação foi capaz de me deixar ainda mais triste: uma pessoa do bem, que trabalha com educação, me disse que nem sabia da existência de Dylan, ficou horrorizada com o que ele fez e foi saber quem é. E sabe o que essa pessoa me disse: gostei da pauta conservadora que ele defende. Eu disse: O que? Você está brincando. E ela, séria, retribuiu: Não. Eu vi que ele luta contra a esquerda, contra a ideologia de gênero. Você viu que ele é favor do Bolsonaro, nega a vacina e máscara e propaga o uso de arma de fogo? E essa amiga (ou será ex-amiga) me disse: Vi, eu não concordo com essas coisas, mas ele tem esse lado de combater “essas coisas” (sic) de mulher com mulher e homem com homem. Por que isso te incomoda? Ao que ouvi de resposta: Por que é errado. Achei melhor encerrar o assunto, terminar a conversa e admitir que vivo numa cidade que prefere os dantas que estão por aí, cabendo a mim me mudar, como diz o ditado “os incomodados que se retirem”. Confesso, estou muito incomodado.

Comentários

Leia também