Cassação de Crespo vai ao plenário e ele terá o dobro de votos que precisa

A reunião dos membros da Comissão Processante do prefeito Crespo, que terminou no final da tarde de hoje, entre Silvano Junior (PV), Hudson Pessini (MDB) e Luís Santos (Pros), teve um fato esperado: Luís Santos, como membro, não concordou com as diretrizes da conclusão dos trabalhos, feita pelo relator Pessini, e anunciou que vai fazer um relatório paralelo. Silvano, como presidente, disse que aceitará os dois relatórios.

O que isso significa na prática, além de tumultuar os trabalhos, vou arriscar a dizer:

1) Está definitivamente afastada qualquer hipótese da Comissão Processante perder o prazo legal para concluir seus trabalhos e o prefeito Crespo se livrar da cassação por este motivo.

2) Haverá votação em plenário e o prefeito terá o dobro dos votos que necessita (14 e não 7 votos) para se manter no cargo.

3) Mais do que ficar no cargo, que era seu objetivo inicial, o prefeito terá também o que deseja que é: sossego para concluir o seu mandato em dezembro do ano que vem.

4) Por fim, arrisco a dizer que politicamente o prefeito conseguiu pacificar a sua situação, mas segue correndo riscos via as ações da Polícia, Ministério Público e Justiça.

Comentários

Leia também