Depois da saúde, agora é a vez da educação perceber a estratégia do prefeito em diminuir o número de funcionários públicos nas ações que estão sendo pensadas para essa área em Sorocaba

O prefeito Crespo prepara mudança no serviço de saúde oferecido à população sorocabana e isso vem sendo discutido internamente há meses na Prefeitura de Sorocaba, embora bem pouco seja divulgado e nada ainda tenha sido compartilhado por quem está à frente dessas mudanças (o médico Ademir Watanabe, secretário da Saúde é o principal deles) com os integrantes do Conselho Municipal de Saúde, que é de caráter deliberativo. Mas o barulho é grande neste sentido especialmente por parte do presidente do Sindicato dos Médicos, Eduardo Luís Vieira, que não se cansa de apontar para essa mudança como um processo de terceirização da saúde.

Na Educação, há um mês o prefeito Crespo anunciou a criação de 3 mil novas vagas em creches na rede municipal e na semana passada a secretária de Educação, professora aposentada da rede municipal Marta Cassar, deu uma pista de que essa área também vai se encaminhar para as parcerias. Na prática não serão funcionários públicos quem farão novas ações na rede municipal de educação, uma vez que uma Organização Social será chamada para assumir a condução dessas mudanças. Ou seja, é terceirização preconiza o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Salatiel Hergezel, que é professor da rede municipal. Marta Cassar contesta e explica a diferença: “Quando o serviço é terceirizado, tudo é deles, mas na gestão compartilhada é preciso seguir o modelo de ensino da rede municipal”, além disso, reforça a secretária, “haverá um supervisor para acompanhar o trabalho e será realizada avaliação criteriosa para verificar a capacidade técnica da entidade que atuará”.

O cidadão comum pouco liga para os partidos dos políticos, mas ele diz muito sobre seus candidatos. O prefeito Crespo é do DEM (Democratas) um partido que em sua essência defende chamado Estado Mínimo na sociedade. Um posicionamento absolutamente contrário da vereadora Iara Bernardi (PT) que agendou uma audiência pública para o dia 6 de março para debater as mudanças na educação. Hergezel até recentemente era filiado ao PC do B, partido igualmente de esquerda e que defende uma presença maior do Estado na sociedade.

Seja qual a decisão de quem está com a caneta na mão ou de quem faz oposição, antes de mais nada é preciso que a sociedade entenda em quem votou e quem combate o que ganhou a eleição.

Em outubro haverá nova eleição e essa lógica ainda estará em debate entre os candidatos, mesmo que veladamente.

Quanto a Sorocaba, o importante é que a Prefeitura comunique e explique e debate as mudanças que estão em curso para acontecer na Saúde e na Educação.

Comentários

Leia também