Deputada está focada na Assembléia, mas deixa a impressão que se for convocada será a candidata tucana nas eleições do ano que vem para prefeito de Sorocaba

Maria Lúcia Amary mais uma vez defendeu com unhas e dentes o governador nas minhas provocações de que os tucanos sorocabanos são muito bonzinhos e generosos com Geraldo Alckmin. Lembrei a afirmação do jornalista Paulo Henrique Amorim, em palestra duas semanas atrás no Sindicato dos Metalúrgicos, onde afirmou que o Estado mandou apenas o Poupatempo para Sorocaba. Ela desfiou um rosário sobre o AME (Ambulatório Médico de Especialidades), a Penitenciária Feminina de Votorantim, o início da duplicação da SP-264 que ela acredita que fica pronta até abril, o início da duplicação da Sorocaba-Itu (Avenida Paraná cujo as obras estão paradas há meses). Ela falou da Região Metropolitana, dos seu papel na Assembléia, dos repasses de emendas à entidades e a necessidade dos vereadores desenvolverem uma fiscalização rigorosa no uso e destino desse dinheiro. Mas, se perguntarem qual o resumo da entrevista eu digo o seguinte:  está focada na Assembléia, mas deixa a impressão que se for convocada será a candidata tucana nas eleições municipais do ano que vem. Foi o que percebi durante sua participação hoje na coluna O Deda Questão no jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz). Lembro que a prerrogativa é do prefeito Pannunzio de concorrer à reeleição. O deputado federal Vitor Lippi afirma que não quer, mas seus movimentos indicam que ele quer, sim, e muito ser o candidato. Maria Lúcia deixa transparecer que se tiver a chance, ela será a candidata.

Comentários

Leia também