Deputado explica que votação era da bancada e líder deu o voto do partido sem prejudicar andamento da CPI

A assessoria de comunicação do deputado Raul Marcelo (PSOL) explica que sua ausência do parlamentar no momento da votação de requerimento de urgência da CPI da Merenda não teve influência alguma na votação uma vez que, por acordo das lideranças, a aprovação seria por unanimidade e a votação feita apenas pelo líder, no caso do PSOL, Carlos Giannazi. A assessoria lembra que o deputado foi o primeiro dos parlamentares da região a lutar pela CPI da Merenda e que estava em outra atividade dentro da Assembléia Legislativa no momento da votação. Leia a íntegra do material encaminhado pela assessoria: “O requerimento de urgência votado na Assembleia Legislativa, no dia 17 (terça), trata de iniciativa para dar celeridade ao projeto de resolução que permite o funcionamento de 06 CPIs ao mesmo tempo, inclusive esse projeto, ainda não foi votado. Houve um acordo entre os líderes de bancadas partidárias, que o requerimento seria aprovado por unanimidade e o deputado Carlos Giannazi, líder da bancada do PSOL,  na condição de líder, encaminhou o voto em nome da bancada, expediente comum durante a votação de requerimentos. O deputado Raul Marcelo, estava na Assembleia, porém em uma outra atividade parlamentar. Por fim, o deputado Raul Marcelo, subscreveu os dois pedidos de CPIs e é autor de pedido de investigação sobre a máfia da merenda, protocolizado no conselho de ética da Assembleia Legislativa em fevereiro.”

Comentários

Leia também