Em busca de um culpado por imagem de site pornô na Câmara

Os portais de notícia de Sorocaba deram quase que em tempo real, na manhã de quinta-feira, que uma imagem de um site pornográfico (foto) foi exibida no telão da Câmara dos Vereadores de Sorocaba durante a sessão, que era transmitida ao vivo pela TV Legislativa, enquanto o vereador Vitão do Cachorrão apresentava um vídeo institucional sobre um projeto de lei relacionado ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Fato inusitado, correu as mensagens de whatsapp, brincadeiras, indignação… Enfim, tudo dentro do esperado para algo dessa natureza.

Mas, e sempre tem um mas, o portal G1/TV Tem decidiu ouvir os envolvidos. E assim publicou:

1) A assessoria de imprensa do vereador Vitão do Cachorrão informou que o vídeo produzido pela equipe não tinha nada além da divulgação do projeto de lei do Moto-Samu.

2) Procurada pelo G1, a Câmara de Sorocaba disse que os técnicos estão apurando o que pode ter acontecido, mas ressaltou que o vídeo é de responsabilidade da assessoria do vereador.

3) Assim que for esclarecido o que causou a falha, o Legislativo vai avaliar se o parlamentar pode sofrer alguma punição e se haverá retratação ou pedido de desculpas.

O jogo de empurra (A culpa é da Câmara. Não, a culpa é do vereador. O vereador será punido) criou um mal-estar entre Vitão e a direção da Casa, por tais psocionamentos publicados pelo G1.

Um clima de apreensão também tomou conta de outros vereadores, pois há quem esteja pensando que foi algo intencional para que se possa barganhar favores com Vitão.

Oficialmente, a Câmara assim se posicionou: “A Câmara Municipal de Sorocaba lamenta o ocorrido na sessão ordinária desta quinta-feira (27), onde a imagem de um banner de um site pornográfico aparece durante o uso da tribuna por um dos vereadores. Continuamos apurando, de forma técnica, para descobrir como deu-se o incidente e pedimos desculpas a qualquer tipo de constrangimento que o fato possa ter gerado aos nossos telespectadores. Continuamos nosso trabalho de forma íntegra e baseado nos princípios da igualdade, fraternidade e cidadania”.

Comentários

Leia também