Câmara tem novo pedido para cassar prefeito e um, vereadora

Caiu no senso comum pedir para os vereadores cassarem o mandato de quem desagrada alguém. Até 2017, quando o prefeito Crespo foi cassado após pedido de um assessor do vereador Renan dos Santos, do PC do B, a lei de 1967 nunca havia sido acionada para cassar o mandato de nenhum dos prefeitos que exerceram o cargo.

Agora, além dos julgamentos em curso para cassar os mandatos do prefeito e da vice, há também um pedido para se cassar o mandato da vereador Iara Bernardi do PT protocolada por um militante do presidente Bolsonaro. O motivo, o fato de Iara ter tirado o microfone e mandato o vereador Luís Santos calar a boca. E mais, mesmo sem o resultado sobre a cassação de Crespo, em razão da denúncia de uso inadequado da Lei dos Voluntários, já um outro pedido para cassá-lo, agora em razão das “pedaladas fiscais” no orçamento de 2017.

Novo pedido contra Crespo

Fábio Ricardo dos Santos, conhecido como Fábio Jojoba, ex-servidor comissionado da Câmara de Sorocaba, quer que os vereadores montem uma nova Comissão Processante, que pode culminar com a cassação do prefeito Crespo, para investigar as chamadas “pedaladas fiscais” apontadas pelo Tribunal de Contas no exercício de 2017.

Em abril ele já havia protocolado um outro pedido de abertura de Comissão Processante contra Crespo para investigar práticas de infrações político-administrativas, que teriam sido comeditas pelo chefe do Executivo em episódio ocorrido em 2017, que culminou na cassação de Crespo pela Câmara, e que aponta a apuração do crime de falsidade ideológica da questão, que foi julgado procedente na época. Mas esse não prosperou.

Pedido contra Iara

Davi Vieira, que já foi conhecido como Davi Bolsonarinho em razão dele defender não apenas as idéias, comportamento e posicionamentos de Jair Bolsonaro, anos antes de alguém imaginar que Bolsonaro iria se candidatar a presidente e muito menos se eleger, saiu em defesa do vereador Luís Santos que se autointitula conservador e se posiciona com o que chama de ditadura LGBT e cristofobia, no bate-boca que ele teve com a colega Iara Bernardi que chegou a tirar o microfone dele, enquanto falava, e tenha mandado-o calar a boca.

Em sua rede social, ele postou ontem de manhã: “Neste momento, estou indo à Câmara Municipal de Sorocaba protocolar um pedido de instauração de processo disciplinar contra a vereadora Iara Lula Bernardi (PT) para apurar a prática de conduta atentatória contra o decoro parlamentar. Nesta semana, a mesma interrompeu, de forma desrespeitosa e autoritária, o momento de fala do vereador Luís Santos. Solicito que sejam tomadas as devidas providências. GRANDE DIA!”

Comentários

Leia também