Encontro de chefe de gabinete e prefeito teve teor de explicação e não de articulação

A primeira impressão do encontro a portas fechadas entre o chefe de gabinete da deputada estadual Maria Lúcia Amary, Válter José Nunes de Campos, e o prefeito Pannunzio na sexta-feira passada era de que se tratava da articulação político do partido. Mas a partir do que ouvi na Câmara de Vereadores, a verdadeira razão do encontro foi outra. Teria acontecido o seguinte: Válter José é apontado como o mentor e articulador do ingresso de vários candidatos a vereador, que em 2012 tiveram entre 1000 e 1500 votos, na legenda do PEN, onde está filiado e já manifestou vontade de ser candidato a prefeito em 2016 o advogado Laerte Moleta. Os dois, que aparecem na foto, são amigos íntimos há mais de uma década. Essa articulação teria deixado os vereadores Martinez (PSDB) e Cláudio do Sorocaba 1 (PR) loucos da vida. Martinez teria dito que se ele estivesse articulando para os tucanos, afinal ele chefia o gabinete de uma deputada tucana, estaria tudo bem, mas era para o PEN. Cláudio, por sua vez, ficou bravo porque Válter tirou nomes que iriam para o seu PR. Tais insatisfações chegaram até o prefeito Pannunzio que cobrou uma posição da deputada Maria Lúcia. Esta, por sua vez, cobrou o seu chefe de gabinete e então Válter José foi até o prefeito para se explicar. Daí que o encontro mais do que articulação, foi de explicação. Ao final, em especial com a data de filiação transferida para março de 2016, tudo acabou bem.

Comentários

Leia também