Entenda o que o levou o secretário da Saúde de Sorocaba a deixar o cargo a pouco mais de quatro meses para o final do mandato Pannunzio

Chicao

O prefeito Pannunzio oficializou a saída do médico Francisco Antônio Fernandes, do cargo de secretário da Saúde da Prefeitura de Sorocaba a pouco mais de 4 meses do final do seu governo. Chicão, como é conhecido, deixou o cargo porque quis. Ele alegou razões pessoais para seu pedido: acabou de passar por cirurgia no esôfago, vai se dedicar mais a sua empresa de medicina que fornece serviço na área de nefrologia e também a própria família.

Há muita gente especulando, porém, que essa saída foi repentina e é fruto de divergências com o presidente do Cotim (Comitê de Otrimização de Gastos da Prefeitura de Sorocaba), Édsom Ortega, que é secretário de Planejamento. Não é verdade. Por mais que já tenha ficado bravo com os cortes e em uma vez, pelo menos, tenha deixado transparecer publicamente essa bronca, a razão para sair não é essa. Ao contrário, Chicão compreende o que Ortega faz por necessidade.

Tampouco a razão para sair seja a cirurgia que fez no esôfago. Ao vivo no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) hoje pela manhã o secretário disse que não é câncer e que o regime alimentar a que vai se submeter fará com que perca muito peso. O que é normal.

O que explica a saída do secretário então?

O fato é que a empresa dele, que fornece serviço médico de nefrologia para o CHS (Conjunto Hospitalar de Sorocaba), unidade que é do governo do Estado, ao renovar o contrato por esses serviços, se deparou com uma nova cláusula onde agente público, de qualquer esfera, não pode ser sócio de empresa que forneça serviço para o Estado. Como ser secretário é uma situação passageira, com data para entrar e sair, e a empresa é o ganha pão do seu proprietário, Chicão não teve dúvida em qual caminho seguir.

Comentários

Leia também