Este sim é fato que justifica sessão solene: os 498 anos da Reforma Protestante de Lutero

Em minha dissertação de mestrado “Em branco não sai: um olhar semiótico sobre o jornal impresso diário”, que está publicado em livro, faço uma reflexão sobre o papel do jornalismo em nossa sociedade. Mais que isso, meu livro é uma reflexão sobre o que é fato, o que é acontecimento e o que nós, repórteres e editores, escolhemos de modo arbitrário para preencher o vazio de nossas páginas sejam elas de papel, eletrônicas, sonoras, televisivas, digitais.

Num dado momento do livro, me prendo a um diálogo entre dois dos grandes escritores contemporâneos, ambos nascidos na Argentina, Jorge Luis Borges e Ernesto Sábato, quando trocavam refletiam sobre a vida.

Eis o trecho que me prendi:

Borges: Eu quero dizer, Sábato, que nenhuma referência a todos os dias merecem ser notícias. O fato é fugaz.

Sábato: Sim, isso é verdade. Notícias, diariamente, de um modo geral, são levadas pelo vento. O que é novo não é a diário, e é ainda mais velho, no dia seguinte.

Borges: Ninguém pensa que deve ser lembrado o que está escrito em um jornal. A coisa de um dia, por exemplo, é escrita para o esquecimento, deliberadamente para ser esquecida.

Sábato: Seria melhor publicar um jornal a cada ano, ou a cada século. Ou quando algo realmente importante acontecesse: “Senhor Cristóvão Colombo apenas descobriu a América.” Título de fora a fora em seis colunas.

Borges: (Sorrindo) Sim … Eu acho que sim.

Sábato: Como pode haver acontecimentos importantes todos os dias?

Borges: Além disso, não se sabe de antemão se um acontecimento é importante. A crucificação de Cristo se tornou importante depois, mas não quando aconteceu.

 

Pois bem, decide compartilhar este trecho com vocês ao  ler que os 498 anos da Reforma Protestante serão comemorados na Câmara Municipal por iniciativa do vereador Luis Santos (Pros). Ele ressalta a importância histórica do movimento iniciado por Martinho Lutero e quem hoje dúvida dessa importância.

Esta data será comemorada na Câmara Municipal de Sorocaba em sessão solene a ser realizada nesta quinta-feira, 29, às 19h30, no plenário da Casa.

Segundo a História, no dia 31 de outubro de 1517, o monge agostiniano Martinho Lutero (1483-1546) afixou nas portas da Catedral de Wittenberg, na Alemanha, suas 95 teses criticando a venda de indulgências por parte dos clérigos, dando início ao movimento que ficaria conhecido como Reforma Protestante. O movimento se disseminou pela Europa e, posteriormente, chegaria ao Novo Mundo, marcando, sobretudo, a formação dos Estados Unidos da América.

“Como reconhecem os próprios historiadores e sociólogos laicos, a Reforma Protestante teve um papel importante na educação, nas ciências e nas artes, contribuindo, por exemplo, para democratizar a circulação do livro impresso, que havia surgido no século anterior com Gutenberg”, enfatiza Luis Santos. O vereador cita, ainda, o sociólogo alemão Max Weber (1864-1920), que, no clássico A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, procura mostrar que a Reforma Protestante está na base do desenvolvimento da sociedade moderna e propiciou o desenvolvimento do capitalismo.

Está ai um fato, suponho eu, que entrariam na fictícia publicação de Borges e Sábato.

Comentários

Leia também