Ex-deputada fala em nome do PT e afirma que sentiu vergonha alheia pelo resultado

A ex-deputada federal Iara Bernardi (PT), disse sentir vergonha alheia após a aprovação do prosseguimento do impeachment da presidente Dilma. A ex-parlamentar participou da coluna O Deda Questão, dentro do Jornal da Ipanema, da rádio Ipanema 91,1 FM, pois o presidente do diretório municipal do PT, vereador Izídio de Brito, não atendeu ao telefone. Sua assessoria explicou que ele estava em trânsito para Sorocaba, saindo de Brasília no horário do jornal. Iara Bernardi, então, empunhou a visão de quem saiu derrotado do impeachment. Ela classificou a votação como um “espetáculo deprimente, com nível baixíssimo de argumentação”. “Me deixou deprimida e envergonhada, inclusive dos nossos representantes”. A parlamentar citou além dos deputados Vitor Lippi e Jefferson Campos, que votaram, os ex-deputados Pannunzio (atual prefeito) e Renato Amary que também estiveram em Brasília para acompanhar a votação e influenciar votos a favor do impeachment.

Iara ainda criticou a posição do vice-presidente Michel Temer: “Eles estavam juntos governando! Como é possível uma barbaridade desta?”, questionou. “Que representatividade terá o Brasil com Temer e [o presidente da Câmara Eduardo] Cunha de vice?”

A ex-deputada ainda criticou Cunha, no qual o chamou de “criminoso”. “Porque o Congresso não se mobilizou para cassá-lo? Criminoso comprovado com todas as provas e deixam que ele dirija este espetáculo deprimente. Isto é coerente? É de nos envergonhar”, declarou.

Comentários

Leia também