Guerra dos buracos nas ruas de Sorocaba

Semanas atrás, moradores protestaram contra a situação das ruas de Sorocaba colocando a foto do prefeito Crespo em plaquinhas fixadas nos buracos. O autor da façanha ganhou seus minutos de fama, mas logo se viu que havia um candidato a vereador por trás e o mecanismo esvaziou.

Os vereadores viram oportunismo de quem fez essas plaquinhas e entendem que eles são os verdadeiros interlocutores dos moradores para resolver o problema, ou seja, há uma disputa sobre a paternidade para os buracos tapados.

O fato é que as chuvas acima da média nos meses de janeiro e começo de março apenas pioraram a situação. Os moradores reclamam, recorrem ao vereador que por sua vez recorre à prefeitura para resolver o problema.

E é isso o que Fábio Pilão, titular da Secretaria de Conservação, Serviços Públicos e Obras da Prefeitura de Sorocaba tenta fazer dentro dos limites do seu orçamento: “Fazemos levantamentos diários sobre as condições dessas vias e traçamos um planejamento das quais devem receber esses serviços levando-se em consideração sua trafegabilidade, seu estado de conservação, entre outros critérios que observamos junto aos técnicos que são deslocados para verificação no local”.

No ano passado, de janeiro a outubro, foram 36 quilômetros de pavimentação e recapeamento por ruas e avenidas da cidade.

Nos dois primeiros meses deste ano, embora o serviço não tenha parado, o serviço foi prejudicado pelas chuvas e na última semana está mais acelerado, inclusive com o trabalho sendo feito à noite para não atrapalhar o tráfego de veículos como nas ruas Padre Luiz, no Centro, e General Osório, no Trujillo.

Outro local que merece atenção do secretário Pilão, com o recapeamento e recuperação asfáltica em trechos que estão apresentando buracos e em trechos com trincas no pavimento, é avenida Dom Aguirre (principal artério do trânsito sorocabano), cujo a previsão é de 60 dias de trabalho no  local, onde está sendo usado o CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente).

Comentários

Leia também