Ida do São Bento à série D do Campeonato Brasileiro depende mais do São Bento do que FPF

O entusiasmado torcedor sorocabano, feliz da vida com a ida do São Bento à segunda fase do Campeonato Paulista (onde joga contra o Santos no próximo sábado), anda dizendo que a FPF (Federação Paulista de Futebol) ainda não indicou as equipes das vagas paulistas para as disputas do Campeonato Brasileiro da série D com o tom de que este mistério é da responsabilidade da federação. E não é. Quem está com receio em aceitar a vaga é a diretoria do São Bento. E o motivo é de onde vão tirar R$ 2,5 milhões que é o custo da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série D. Nem a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), nem a FPF e nem a televisão pagam nada aos clubes participantes. Ou seja, o São Bento teria de tirar este dinheiro de sua própria receita. Claro que a diretoria leva em conta os louros que uma conquista da série D (indo para a série C, depois B e depois A) traz, especialmente no que diz respeito ao dinheiro. Mas, neste momento de absoluta incerteza pelo qual passa o Brasil, a diretoria prefere ter cautela. Enquanto não se decide, a FPF empurrou a definição para depois da final do Paulistão. Na noite de segunda-feira, a diretoria se reuniu e este tema (ida do São Bento à série D) fez parte das discussões. Houve manifestações contrárias à ida do São Bento, mas também de diretores que se posicionaram favoráveis.

Comentários

Leia também