Justiça nega pedido de reintegração de posse e estudantes ganham aval para seguir com a ocupação de escolas: são 7 só em Sorocaba

Os desembargadores do Tribunal de Justiça, em decisão unânime, negaram o pedido do governador Alckmin para invadir as 106 escolas estaduais ocupadas (sendo que 7 são apenas em Sorocaba) e retirarem de lá os estudantes. A medida significa que a justiça reconhece a resistência de pais, alunos e professores em relação à reorganização escolar.

Dentro das escolas há duas semanas, os estudantes que estão na faixa etária entre 13 e 15 anos estão organizados em roda de conversa, jogos, atividades culturais (como a da foto com José Bocca) e fazendo a sua própria comida. A vizinhança das escolas ocupadas leva pipoca e doces. Integrantes de sindicatos e políticos levaram colchonetes, lanches, gelo e refrigerante.

Uma mãe me informa que o mais interessante da ocupação é que ela está sendo suprapartidária. “A moçada,  provavelmente, será usada,  mas acho pontual perceber que os estudantes sorocabanos não  acatam simplesmente uma decisão, sem explicações  que o convençam serem positivas”, me afirmou ela.

 

Essa mãe está preocupada com a invasão da polícia para a retirada dos alunos: “Acredito que nesta segunda a coisa pega, afinal o Saresp (prova de avaliação dos alunos) deve ser na terça, e aí acho usarão força para retirada dos alunos”. Mas a decisão do TJ, negando o pedido do governador, amenizou este medo.

 

Essa mãe me diz que “é um insulto à nossa inteligência,  a reorganização não é  um fato isolado. Anúncio do secretário afirma que os professores efetivos  poderão ficar adidos,  categoria O. Desempregados,  professores categoria F  ganharão  um salário mínimo.”

 

Confira a lista de escolas ocupadas em Sorocaba:

E.E. Beatriz Del Cistia

E.E. Hélio del Cistia

E.E. Antônio Vieira Campos

E.E. Mário Guilherme

E.E. Lauro Sanches

E.E. Humberto de Campos

  1. E. Jorge Madureira
Comentários

Leia também