Lideranças tucanas serão ouvidas, mas presidente do diretório municipal do partido entende que é incompatível a presença de um vereador do PSDB na articulação política de um prefeito adversário. Anselmo está decidido a ficar como secretário

anselmojoaol

Revelei aqui que esquentou o clima no ninho tucano em razão do vereador Anselmo Neto aceitado o convite do prefeito Crespo e ser o novo secretário de Relações Institucionais e Assuntos Metropolitanos da Prefeitura de Sorocaba. O que mais pegou foi o fato dele ter aceitado o convite sem nem ao menos fazer uma consulta aos líderes ou direção do partido. Anselmo me disse que nem tempo disso teve e mostrou a mensagem que enviou a João Leandro, presidente do diretório municipal do partido, onde se explica e deixa claro que espera não sofrer nenhuma punição: “João bom dia, não liguei para vocês porque foi muito rápido e eu nem sabia que o Martinez tinha desistido de ser o secretário. Quando chamaram a mim e ao JP (vereador suplente que ficará com a vaga) no 6º andar só então tive noção do que estava acontecendo. Não tinha e nem sei o número novo do seu celular que  hoje pedi ao Toni Silveira.  Aceitei ser secretário porque vou substituir o Martinez e entendi que se ele podia ser secretário eu também poderia. Não pedi autorização porque entendi já estar autorizado. Continuo respeitando muito o partido PSDB do qual sou novato e ainda mais você como presidente. Estou a sua disposição para conversar. Te admiro muito e essa situação não mudará o respeito que tenho por você.” Anselmo me disse que desde a mensagem, na manhã de sábado, até agora há pouco, não tinha recebido resposta de João Leandro.

Hoje pela manhã, após falar do assunto na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), conversei com João Leandro e perguntei a ele se o partido vai tomar alguma medida, como pedido de expulsão, em relação ao Anselmo? Ele me informou que antes de qualquer ação ele preciso ouvir o que pensam as outras lideranças do partido, o que inclui o deputado federal Vitor Lippi, a deputada estadual Maria Lúcia Amary e o ex-prefeito Pannunzio: “Por enquanto só houve a minha manifestação. Entendo ser incompatível a presença de um líder do nosso partido num governo que está promovendo ataques diariamente ao nosso líder Pannunzio de forma desrespeitosa como sempre fez. É uma questão de coerência partidária. Sem coerência o PSDB será reduzido a um partideco de aluguel e conveniência”.

Foto: Santinho da campanha de vereador de Anselmo Neto junto de João Leandro, candidato a prefeito, e Cláudio, vice.

Comentários

Leia também