Médico afirma que protesto na Policlínica é vacina contra o que poderá vir a acontecer

O médico Eduardo Luís Vieira, presidente do Sindicato dos Médicos de Sorocaba, me telefona e antes de qualquer coisa já avisa que ao contrário da eleição passada, nesta próxima ele não é candidato a vereador em Sorocaba. Ele diz isso para que não usem este argumento para justificar o protesto ocorrido na frente da Policlínica de Sorocaba informando a população de o local ainda está vivo, mas bem perto da morte. Ou seja, segundo Eduardo Luís, a Prefeitura esvaziou completamente a Policlínica com o intuito de afirmar que o serviço público é ruim e a saída é terceirizar o serviço e atendimento. “Nosso protesto é uma vacina contra o que poderá vir a acontecer. É um alerta de que a prefeitura deseja terceirizar a saúde por completo”, me disse.

Em Nota Oficial, a Prefeitura afirma que a Policlínica é importante, não fechou e não será fechada. A verdade é que o primeira secretário da Saúde, Armando Raggio, tinha a idéia de levar aos Centros de Saúde e Prontos-Atendimentos o que a Policlínica oferecia. Mas a idéia não se concretizou e a Policlínica perdeu a importância de Referência em Especialidades que adquiriu no passado.

Comentários

Leia também