Membros da Comissão Processante do prefeito apresentam divergências

Ao contrário do que eu disse na postagem de ontem, de que o vereador Luís Santos, como membro da Comissão Processante, não havia concordado com as diretrizes da conclusão dos trabalhos, feita pelo relator Hudson Pessini, e havia anunciado que vai fazer um relatório paralelo e Silvano Jr., como presidente, disse que aceitará os dois relatórios, a verdade é que Luís Santos apenas sinalizou que poderá vir a fazer isso, mas ainda não o fez.

O fato é que Luís Santos não concorda com argumentos apresentados dentro da comissão por Pessini e deixou isso bastante claro, ou seja, é evidente que há divergências de visão e opinião dos membros da Comissão Processante do prefeito, fato diferente do que aconteceu na Comissão Processante da vice, quando por unanimidade os três integrantes entenderam que era o caso de recomendar a sua cassação.

Ao final dos trabalhos, o que apurei, é que o vereador Luís Santos só dará um palavra final depois de ler o relatório de Pessini, ou seja, se lá estiverem escritos os argumentos falados por ele na reunião é grande a chance dele fazer um relatório paralelo para fazer valer o seu ponto de vista.

Importante frisar que divergências são comuns entre os vereadores, em especial entre aqueles que pensam de modo diferente. Vale ressaltar que o relator, Pessini, é namorado da vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, que será beneficiária com o cargo de prefeito, caso Crespo venha a ser cassado.

Comentários

Leia também