No primeiro dia de mandato, prefeito chega às 5h para trabalhar. Uns entenderam como demagogia, outros como deslumbramento e eu como ansiedade. Simbolismo do ato passa a mensagem de que basta trabalhar. O que não é verdade

crespo1dia

A foto que ilustra essa nota eu peguei no facebook do Jornal Z Norte e foi flagrada ainda na madrugada de hoje no terraço do 6º andar da Prefeitura de Sorocaba. Nela, o prefeito Crespo aparece ao lado dos secretários Eloy Oliveira (Comunicação); Jessé Loures (Meio Ambiente), Luiz Fioravante (Planejamento) e Hudson Zuliani (Gabinete Central). No final da noite de domingo, horas depois da posse, a assessoria do prefeito fez a sugestão de pauta para o veículo que desejasse cobrir a chegada dele em seu primeiro dia de trabalho. O inusitado foi o horário, às 5h. A justificativa é bastante técnica, Crespo quis organizar o espaço onde a nova equipe, escolhida por ele, vai ocupar. Logo às 8h, quando teve início o expediente, ele já tinha indicado a todos onde ficar, inclusive os que só serão secretários de fato após a reforma administrativa que vai para a Câmara ainda nesta semana.

Claro que o inusitado do horário gerou os mais variados tipos de comentário: é uma atitude demagógica ouvi de alguns; de outros que trata-se de deslumbramento (a foto de todos de madrugada olhando para alguma estrela, para a bandeira chacoalhando no mastro, para um avião que riscava o céu…. indica isso) e eu, particularmente, entendo que se trata mesmo de ansiedade. Em que pese o histórico pessoal de Crespo de dormir entre 4 e 5 horas por noite, não é habitual que ele comece a trabalhar e esteja cercado de assessores em horário tão peculiar.

O fato é que o simbolismo desta sua atitude (independentemente do que cada um ache e todos têm o direito de achar alguma coisa, inclusive não achar nada) casa com o mantra usado na campanha: Bóra trabalhar!

Não é possível que Crespo acredite, mesmo, que basta trabalhar 16 horas por dia (como ele insistiu durante a campanha que faria se eleito) para resolver os problemas. Isso provoca um efeito nefasto pois a mensagem subliminar é de que os problemas (sejam de governo ou pessoais) são resolvidos com trabalho. Na verdade, os problemas são resolvidos com atitudes, inovação e parceria, em especial os problemas públicos.

Sorocaba e outras milhares de cidades no Brasil sofrem do ponto de vista econômico mesmo com os prefeitos que deixaram o cargo tendo trabalhado muito.

Um município não tem capacidade para resolver sozinho os seus problemas num país onde a União e Estado arrecadam muito e depois distribuem a quem arrecada menos que são os Municípios. Não é de dentro para fora, como num passe de mágica, que os problemas serão resolvidos.

Crespo, me parece, cumpriu mais um dia de campanha eleitoral onde precisa vender sonhos para conquistar votos. Não precisa mais. Ele foi o escolhido para fazer diferente do que foi feito nos últimos 20 anos, do contrário o sorocabano teria deixado o PSDB mais um mandato no comando. Crespo tem credibilidade para fazer do seu jeito. Há uma grande esperança no ar, em especial daqueles que votaram nele. Assim como há uma grande desconfiança, daqueles que votaram em Glauber Piva, Hélio Godoy e João Leandro no 1º turno e os mais de 40% que votaram em Raul Marcelo no 2º turno.

Ah, mas o que Crespo deveria ter feito em seu primeiro dia?

Imagino que quem chegou até aqui, lendo este texto, deve estar se perguntando isso. Minha resposta é simples: deveria ter iniciado um diálogo com a sociedade baseado no Real, ou seja, falando com os diferentes e não com quem pensa igual a ele.

Às 18h, uma pessoa bem perto de Crespo, me respondeu assim quando perguntei: Você resume o primeiro dia em quais palavras: “foi um dia de colocar as coisas nos novos lugares. Essencialmente foram feitas mudanças de layout e de pessoas em espaços”. Isso desde às 5h, perguntei e a resposta foi “sim”. Ou seja, foi um dia onde o novo governo esteve fechado em si mesmo.

A resposta que eu esperava: “Foi um dia muito produtivo. Um primeiro dia onde ficou estabelecida uma agenda pública para os próximos 120 dias onde vamos mostrar às lideranças de Sorocaba, e ao cidadão comum, que este novo momento é de abertura para a construção de um novo momento para Sorocaba. Desde o primeiro dia é importante passar a mensagem que este será um governo para todos. Queremos estar abertos e não fechados em nós mesmos. E a construção dessa agenda mostra que isso não é demagogia, mas a disposição para inovar. Não é abrir mãos da escolha da maioria dos eleitores, mas de conclamar este novo momento com quem entendeu que deveria ter votado em outro”.

Comentários

Leia também