Nova mudança na gestão da publicidade

Foi surpreendente a decisão do prefeito Crespo de tirar o comando das mãos de Eloy de Oliveira, titular da Secretaria de Comunicação e Eventos, da relação com a agência de publicidade da prefeitura, que venceu licitação de R$ 20 milhões, e passá-la a Carlos Mendonça, chefe do seu gabinete.

Agora, novamente surpreendente, a decisão de tirar da chefia do seu gabinete o comando dessa relação com a agência e passá-la para o Gabinete Central do Poder Executivo, especificamente a Gilberg Antunes, Diretor de Área da pasta, conhecido por Giba que foi um dos marqueteiros da sua campanha eleitoral de 2016.

Como da primeira vez, também agora o prefeito não comunicou ninguém sobre essa mudança. O que está vago é o cargo do fiscalizador desse contrato, desde a demissão do funcionário que tinha essa função, há dez dias, quando foi tirada da Secretaria de Comunicação e passada à Chefia de Gabinete o contrato da publicidade.

Em seu depoimento à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que apura o trabalho de voluntários na Prefeitura de Sorocaba, semana passada, Carlos Mendonça, quando questionado sobre o contrato de publicidade da Prefeitura de Sorocaba com a empresa Dgentil Propaganda, sobre o qual os vereadores receberam denúncias de que Tatiane Polis exercia influência em sua gestão, Carlos Mendonça não quis se manifestar, argumentando que o assunto não é objeto da CPI.

Conversei com Giba sobre sua nova responsabilidade e ele se limitou em me dizer que “não é verdadeira a informação de que o prefeito passou a ele a gestão do contrato da agência”, mas confirmou que está “trabalhando com as secretarias para receber as demandas e fazer o briefing para a agência produzir a publicidade institucional da prefeitura”.

Nos bastidores, o zumzumzum de que chegou ao limite de desgaste a relação entre Eloy de Oliveira e o prefeito Crespo não se confirma perante as aparições públicas dos dois. No final de semana dividiram o palanque e os discursos na Vila Hortência, na solenidade do Recupera Sorocaba, e na manhã de terça-feira os dois foram juntos aos estúdios da rádio Cacique (foto) onde o prefeito concede entrevista a cada quinze dias.

O melhor a fazer, no meu entender –, ainda mais com o calor da CPI que mira em Tatiane Polis, alvo de denúncias de assédios morais, intimidações, tráfico de influência e prejuízos ao erário público contra ela, que é assessora pessoal do prefeito e que trabalha sem vínculo empregatício, ou seja, de modo voluntário – seria o prefeito devolver a Eloy de Oliveira o comando desse contrato. Se não corrige o passado, ao menos coloca uma pedra sobre o futuro que, pelo que vejo, promete ser quente.

Comentários

Leia também