O dia em que Paulo Betti passou vergonha nacionalmente

Ator das novelas da Rede Globo, o que significa ser visto por milhões de pessoas, Paulo Betti vem referenciando Sorocaba ao longo das últimas décadas por manifestações espontâneas que ele faz à cidade, ao São Bento, às pessoas daqui. Ele enaltece seu lar. Sua peça autobiográfica, com referências aos anos que viveu aqui, é uma ode a Sorocaba. Seu ativismo lulopetista, que tanta raiva desperta nos mais conservadores, sempre foi tolerável em que pese os exageros do tom das palavras, gestos e imagens usados por Paulo Betti para dizer quais são suas preferências políticas.

Paulo Betti sempre foi o embaixador de Sorocaba, quer as pessoas gostem ou não dele. É algo que se faz por sua vontade. Há pelo menos uma dúzia de outros sorocabanos, da mesma área de Paulo Betti e de outras, que tocaram sua vida e dizem que são daqui quando a oportunidade aparece. Paulo Betti, não. Ele cria a oportunidade para dizer que é daqui.

E até agora nunca houve mal algum nesse posicionamento de Paulo Betti. Até agora…

Na noite de sábado, logo após o Palmeiras ter conquistado o tricampeonato da Taça Libertadores da América, ao vencer o Flamengo em Montevidéo, um emocionado Weverton, goleiro palmeirense, se vê diante de um microfone e uma câmera de TV no minuto seguinte ao da conquista desejando saber dele, ao vivo, o que estava sentindo no calor daquele momento onde a adrenalina estava a mil por hora com a emoção se sobrepondo a qualquer razão. E num discurso conhecido, repetitivo até, Weverton desembestou a falar de Deus. Que Deus está em tudo. Que Deus isso e aquilo… Parecia que nem ele com suas defesas e nem o Palmeiras tinham nada a ver com o título, apenas havia sido uma obra de Deus.

Não foi uma, duas, dez, mil pessoas que notaram um descompasso com a realidade do discurso de Weverton, mas milhares. A absoluta maioria apenas notou e pronto. Paulo Betti, não. Resolveu externar, via redes sociais, sua opinião. E qual a opinião de Paulo Betti? Que Weverton seria uma espécie de Bruno, o ex-goleiro do Flamengo que também falava em Deus e cumpre pena acusado de ter matado a ex-namorada Elisa Samudio. Ãhhh? Qual a lógica Paulo Betti?

Por conta própria ou alertado por alguém, Paulo Betti tirou do ar sua postagem momentos depois. E pediu desculpas. Weverton aceitou as desculpas, mas disse que nunca havia sofrido tamanho preconceito de intolerância religiosa. Os portais de notícia exploraram o assunto no limite e no Uol se tornou o assunto mais comentado pelos internautas na segunda-feira. O assunto foi tema do programa “Bem, Amigos”, do SporTV, que teve a presença de Weverton. A imprensa local tratou do assunto.

A unanimidade das manifestações foi de ataques a Paulo Betti. Um ódio guardado dentro das pessoas que apenas toleravam ele e seu posicionamento ideológico explodiu em xingamentos a ele.

Mas o que disse Paulo Betti?

  1. “O discurso do goleiro do Palmeiras depois do jogo, aquela falação sobre Deus quando devia estar comemorando, aquela cena dele rezando antes de começar o jogo, me fez lembrar do goleiro Bruno, que rezava no Maraca e depois ia matar a moça e jogar para os cães. Explica muito o Brasil”, escreveu o ator.
  2. “A postagem foi infeliz. Peço desculpas ao goleiro Weverton e a todos que se sentiram ofendidos. Aproveito pra cumprimentar os campeões”, escreveu.

Parafraseando o próprio Paulo Betti, fico pensando como a sua postagem inicial e a seguinte, com ele se desculpando, explicam muito o Brasil.

Minha preferência seria por Paulo Betti sustentando sua opinião inicial, pois ela é de crítica aos hipócritas. E são tantos! Quem não conhece alguém que fala em Deus o tempo todo apenas como discurso da boca pra fora? Quem não conhece quem usa Deus para fazer o mal?

Não. Paulo Betti amarelou.

Evidentemente Paulo Betti errou ao falar do goleiro do Palmeiras, uma baita injustiça com Weverton, que é um cara do bem, que usa sua história de ter nascido no Acre, o mais pobre dos estados brasileiros e sem tradição no futebol, para vencer na vida e, assim ser exemplo aos mais humildes.

Paulo Betti não errou em falar dos hipócritas. Errou ao colocar o goleiro do Palmeiras na sua análise, mas errou ainda mais ao não sustentar sua opinião e, com isso, passar vergonha nacionalmente.

Paulo Betti acertou ao não negar Deus e dizer para se ter cuidado com quem usa o nome de Deus para dizer uma coisa e fazer outra. Paulo Betti errou ao voltar atrás da opinião num pedido de desculpas lacônico.

Comentários

Leia também