Outra promessinha descumprida por governador afeta novos pacientes de oncologia na Santa Casa de Sorocaba

O governador Geraldo Alckmin se irritou comigo, tempos atrás, quando chamei-o de promessinha, ao vivo, durante sua participação por telefone no jornal da Ipanema. Disse que eu faltava com o respeito quando o chamava assim. Mas o que dizer de quem  promete uma coisa e não cumpre?

A falha mais recente, de dar uma contrapartida na cobertura dos custos de novos pacientes de oncologia na Santa Casa de Sorocaba, novamente não se cumpre. Com isso, desde o dia 1 de novembro, novos pacientes diagnosticados com algum tipo de câncer não são mais atendidos na Santa Casa que segue fazendo o tratamento dos pacientes que já atendia.

Em visita a Sorocaba no dia 15 de setembro passado, o governador Alckmin anunciou, ao lado do secretário da saúde David Uip e do prefeito Pannunzio (foto), que o Estado faria o repasse de uma verba adicional de R$ 1,2 milhão para a Prefeitura custear o serviço de oncologia da Santa Casa. O valor seria dividido em três parcelas mensais de R$ 400 mil, sendo que a primeira seria repassada em outubro e as demais em novembro e dezembro. Até o momento, no entanto, a Prefeitura ainda não recebeu nenhuma dessas parcelas e decidiu cancelar o atendimento de novos pacientes.

Se tivesse ficado de boca fechada, o governador teria feito mais pelo sistema do que alimentado a falsa esperança. Obviamente que está decisão do prefeito Pannunzio apenas aumenta a animosidade do secretário estadual da Saúde, David Uip, para com Sorocaba. Ele já havia ficado bravo quando o prefeito foi à justiça contra a decisão da pasta estadual em não colaborar no SVO (Serviço de Verificação de Óbito).

Os deputados não fazem nada e o governo federal, absolutamente falido, também cruzam os braços e a corda estoura do lado mais fraco, o cidadão.

Comentários

Leia também