Prefeito será ouvido segunda-feira que vem pela Comissão Processante

 Passado o primeiro impacto da divulgação da viagem do prefeito Crespo ao Uruguai, durante o seu período de atestado médico, os membros da Comissão Processante da Câmara Municipal, que o investiga, mantiveram para o dia 22 de julho, segunda-feira que vem, a data de ouvi-lo.

Após cobrar, por meio de ofício ao advogado do prefeito e à Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Sorocaba, esclarecimentos sobre a viagem ao Uruguai a Comissão Processante entendeu que isso poderá ser feito durante a oitiva.

Em virtude da alegada condição de saúde de Crespo, a comissão havia combinado com seu advogado a realização da oitiva na casa do acusado no dia 22 de julho. “Caso seja confirmada a informação de que o prefeito estava em viagem, não haveria justificativa para sua ausência à oitiva para que foi convocado no dia 11”, conclui o presidente da comissão processante, Silvano Junior (PV).

A Comissão Processante corre contra o tempo. No dia 3 de agosto deve estar concluído esse processo, do contrário ele é arquivado. Ouvido o prefeito no dia 22, ele terá até dia 27 de julho para as alegações finais de sua defesa. Restará, daí, uma semana para o relatório final e, se for o caso, a convocação de uma sessão extraordinária para a sua votação em plenário. Lembrando que a comissão pode pedir o arquivamento da denúncia contra o prefeito ou a cassação do seu mandato. Para que seja aprovado, o relatório precisa de 14 votos.

“O prefeito já está intimado, já existe um acordo para ele ser ouvido em sua residência e, caso ele seja ouvido ou não, iremos caminhar para o encerramento da comissão processante, abrindo prazo decadencial de cinco dias para as alegações de sua defesa”, esclarece o vereador Hudson Pessini, afirmando que o propósito da comissão é manter o que foi acordado com a defesa do prefeito, que, no seu entender, é a melhor estratégia jurídica.

O terceiro membro da comissão, vereador Luís Santos, não compareceu à reunião de hoje, sendo as decisões tomadas por Silvano e Pessini.

Comentários

Leia também