Presidente da Câmara reúne-se com políticos da região para tratar da Frente Parlamentar Regional em Socorro à Saúde e vira alvo de críticas

O presidente da Câmara de Sorocaba, vereador Rodrigo Manga, reuniu-se com o vice-prefeito de Itapeva, Mario Tassinari (DEM), e os vereadores Edivaldo Alves Santana (PSD), de Itapeva, e Pastor Lilo (MDB), de Votorantim, para apresentá-los a Frente Parlamentar Regional em Socorro à Saúde, criada para integrar vereadores dos 48 munícipios ligados ao Departamento Regional de Saúde (DRS-16) cuja população é atendida pelo Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS).

Manga explicou que a Frente Parlamentar, criada por meio de decreto legislativo de sua autoria, aprovado em sessão extraordinária nesta quinta-feira, 15, terá o papel de fiscalizar a qualidade do atendimento do SUS na região, sobretudo no CHS, bem como buscar informações e demais dados que comprovem a real situação dessa instituição, tanto em caráter administrativo como financeiro.

O presidente da Câmara lembrou a visita feita por ele junto com outros vereadores ao hospital, quando identificaram uma série de problemas. “Em um arrastão feito pela Câmara de Sorocaba no ano passado, flagramos o atendimento precário prestado aos pacientes, equipamentos com problemas, além da falta de insumos básicos e medicamentos no CHS. Constatamos que até mesmo por falta de algodão estéril para fazer assepsia estava sendo improvisado algodão de tala de gesso”, destacou.

O presidente também relatou a visita da diretora do CHS, Silvia Moreira, à Câmara de Sorocaba e a reunião com o Secretário Estadual de Saúde, David Uip, ambas ocasiões em que não foram dadas explicações satisfatórias sobre a situação de precariedade do hospital. Além disso, Manga destacou que nos últimos dez anos nenhuma fiscalização ao CHS foi realizada pelos deputados estaduais da região.

 

“Além de enumerar os problemas do atendimento a pacientes da região, a Frente Parlamentar irá cobrar do Estado e do Governo Federal ações urgentes para promover as melhorias necessárias para o âmbito da saúde nesses municípios”, afirmou Rodrigo Manga.

Audiência Pública

O presidente Rodrigo Manga convidou os visitantes para a audiência pública que será realizada na Câmara de Sorocaba no dia 26 de fevereiro para oficializar a composição da Frente Parlamentar Regional em Socorro à Saúde e a definição de um cronograma de ações. “Todos os 395 vereadores desses 48 municípios estão sendo convidados. Esse encontro oficializará, na prática, a criação dessa Frente Parlamentar e início dos trabalhos”, disse Manga.

Os municípios cujos vereadores estão sendo convidados para integrar a Frente Parlamentar Regional em Socorro à Saúde são: Alambari, Alumínio, Angatuba, Apiaí, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Barra do Chapéu, Boituva, Bom Sucesso de Itararé, Buri, Campina do Monte Alegre, Capão Bonito, Capela do Alto, Cerquilho, Cesário Lange, Guapiara, Guareí, Ibiúna, Iperó, Itaberá, Itaóca, Itapetininga, Itapeva, Itapirapuã Paulista, Itararé, Itu, Jumirim, Mairinque, Nova Campina, Piedade, Pilar do Sul, Porto Feliz, Quadra, Ribeira, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Riversul, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sarapuí, Sorocaba, Tapiraí, Taquarivaí, Tatuí, Tietê e Votorantim.

Ação política

Toda a movimentação de Manga na saúde regional, que se concretizou com a criação da Frente Parlamentar, tem gerado entre os deputados estaduais e entre aqueles que pretendem se candidatar a deputado em outubro uma série de críticas que, em resumo, é a de que ele usa a máquina pública, da Câmara de Sorocaba, para se promover na região onde pretende ser candidato a deputado estadual. Os críticos se lembram que no passado vereadores com pretensão a deputado já criaram Frentes Parlamentares regionais que só fazem barulho para gerar notícia antes da eleição e que passado o resultado não significam nada.

Obviamente que Manga sabe que falam isso e sabe, igualmente que a frentes criadas não deram em nada prático, mas garante que seu trabalho é sério e que não tem relação com sua vontade de vir a ser candidato e se restringe a resolver ou melhorar o atendimento da saúde do estado na região.

Comentários

Leia também