Presidente do diretório do PT diz que agressão no Campolim não passa de incidente

Num exemplar trabalho do jornalista Urbano Martins, coordenador de jornalismo do Jornal Ipanema, a coluna O Deda Questão entrevistou simultaneamente hoje (7/3) o presidente do diretório municipal do PT, vereador Izídio de Brito, e o ex-vereador do PT e hoje militante do PSDB, Arnô Pereira. O foco foi esclarecer o conflito entre grupos dos dois partidos no início da noite de sexta-feira passada, dia em que Lula foi levado a depor de maneira coercitiva (forçado pela justiça). Arnô levou um murro na boca (leia nota sobre isso), desmaiou. Izídio classificou o episódio como incidente e que o PT não quer violência, mas disse que as provocações de ofensas do PSDB inflam os ânimos da militância, inclusive o dele que se mostrou agitado quando normalmente é calmo: “O PSDB não mede consequências. Estamos cansados de sermos chamados de ladrões e mensaleiros”, frisou o presidente do PT. Ele falou que o evento Adesivaço promovido pelos tucanos é “preconceituoso e revoltou muito, é uma manifestação

Comentários

Leia também