Primeira impressora 3D sorocabana é desenvolvida no Parque Tecnológico para ser operada pelo cidadão comum e não por engenheiros como ocorre com a maioria dessas impressoras

Cada vez mais, a impressão 3D faz parte da vida das pessoas, criando desde de próteses humanas e brinquedos a instrumentos musicais. Essa evolução tecnológica, no entanto, ainda tem um custo acessível a poucos. Foi justamente esse desafio que levou o engenheiro elétrico Ronaldo Roledo a criar a Flexbras, uma das empresas residentes no Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS).

Segundo o empresário, seu perfil empreendedor e a satisfação em descobrir como as coisas funcionam motivaram a criação de alguns negócios, todos voltados à tecnologia. A impressora 3D na qual trabalha imprime por fusão de filamento plástico. Será o primeiro equipamento de impressão em terceira dimensão, 100% sorocabano. “Aqui não tem impressoras voltadas para o público em geral. As que existem, tem que ser um engenheiro para operar. Por isso resolvi criar um produto mais acessível, tanto em termos de custo quanto de facilidade de uso”, explica o engenheiro.

Roledo revela que a impressora que está criando pode ser adquirida e utilizada até mesmo por usuários domésticos, por conta do valor acessível. Conforme seus cálculos, uma impressora importada com as mesmas características ficaria em torno de R$ 12 mil, enquanto a sorocabana que está em desenvolvimento no PTS tem custo estimado em R$ 8 mil, contando ainda com suporte total e garantia de 1 ano.

Atualmente o projeto está na fase de finalização do primeiro modelo, já vendido para a Faculdade de Tecnologia (Fatec), de Sorocaba. A ideia é levar a impressora para instituições de ensino, principalmente as que oferecem cursos de arquitetura, engenharia e medicina, áreas onde a impressora pode atender. “A indisponibilidade de Impressão 3D no Brasil em instituições de ensino trava o disseminação dessa tecnologia”, diz o empresário ponderando, ainda, que devido ao alto custo da impressora quem forma o profissional não tem o equipamento para ensinar.

A Empresa Municipal Parque Tecnológico de Sorocaba (EMPTS) é a empresa pública gestora do Parque Tecnológico, responsável pela gerenciamento estratégico e imobiliário. A Agência de Desenvolvimento e Inovação de Sorocaba (Inova), também instalada nas dependências do PTS, é uma Organização Social (OS) que gere as áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação, além de ser responsável pelo programa de incubação de empresas de base tecnológica no Parque.

 

Hubiz

A Flexbras é uma das 14 empresas incubadas na Hubiz, incubadora de empresas do Parque Tecnológico de Sorocaba que visa apoio à criação de negócios de alto impacto e inovação tecnológica de classe global, focada em preparar as empresas iniciantes a ingressarem de forma competitiva no mercado. Assim, potencializa suas chances de sucesso. Conheça o facebook da Hubiz: http://migre.me/sH8Xw (Por Cláudio Rostellato – jornalista da Prefeiturta de Sorocaba. Contados com ele pelo email: [email protected]).

Comentários

Leia também