Santa Casa deve resposta à sociedade sobre dispensa de mulher que deu à luz em terminal

Alessandra e Leila, funcionárias da Urbes, são as heroínas do ano.

Elas ajudaram Andrea Pádua Silva a dar à luz na tarde de domingo ao Kelvin de 3,5kg. É o quinto filho do casal Andréa e Josenir José de Souza. Ela estava no carro de um vizinho que ao perceber que o bebê ia nascer entrou com o veículo no terminal Santo Antônio de ônibus e ai teve a ajuda das funcionárias da Urbes. O Samu levou dez minutos para chegar e fez o corte do cordão umbilical.

Essa história linda tem uma mancha que ainda não foi esclarecida. A mulher esteve na Santa Casa na manhã de domingo e foi dispensada pelo médico de plantão, apesar das dores de Andréa. Uma hora depois, ao chegar em casa, a bolsa estourou e tocou uma nova viagem do bairro Nova Esperança, no extremo da zona oeste, até a Santa Casa na zona leste.

A atitude do médico levanta questões:

Fosse Andréa outra pessoa e não a mulher absolutamente humilde que é o médico a teria dispensado?

Que atitude a Santa Casa terá em relação a esse médico?

O que a prefeitura, que está no comando da Santa Casa, vai fazer?

A verdade é que é necessário entender o que aconteceu e se criar regras para que isso não ocorra mais.

Toda sorte do mundo ao Kelvin. Aos seus quatro irmãos e aos pais.

Aliás, se alguém se interessar em ajudar o casal a mudar o futuro, faça contato pelos números (15) 99793-8284 ou (15) 99670-0853. Josenir é natural de Alagoas e Andrea do Pernambuco e estão há seis anos em Sorocaba.

O médico José Luís Pimentel, gestor da Santa Casa, está com a palavra.

Comentários

Leia também