“Se o prefeito eleito quer diálogo com o MP, seu governo começou mal”. A afirmação é de membro do MP após entrevista do futuro secretário Jurídico que disse prevalecer o corporativismo no MP e que promotores se acham deuses

marinhocruzeiro

O vereador Marinho Marte, que sucessivamente vem sendo eleito para a Câmara de Sorocaba desde 1982, foi entrevistado ao vivo na manhã de hoje na rádio Cruzeiro FM e por volta das 9h20, falando sobre os cinco processos que responde na justiça, conforme reportagem do jornal Cruzeiro do Sul desta quarta-feira, ele seguiu se comportando como o experiente parlamentar que é. Organizou as idéias, relembrou fatos e deu sua opinião sobre o Ministério Público. Não teria nada de novo se o próprio Marinho Marte já não tivesse sido anunciado como o futuro secretário Jurídico da Prefeitura de Sorocaba, no governo de José Crespo, a partir de 2017. A reação do MP de Sorocaba demorou umas três horas para acontecer, depois que entrevista foi colocado no portal da Cruzeiro FM e o conteúdo da fala de Marinho Marte pudesse ser ouvido e ouvido de novo.

A pedido vou preservar a fonte, mas importante membro do Ministério Público de Sorocaba me afirmou: “Marinho Marte falou um monte de bobagem hoje na Cruzeiro FM. Se o Crespo quer diálogo com o MP, começou muito mal”. Primeiramente é importante frisar que logo após eleito, em diversas entrevistas, o prefeito eleito disse que agora, onde ele chega no Executivo, é um novo momento, portanto diferente de quando ele estava no Legislativo, e que tinha todo o interesse de abrir um canal de diálogo com o MP. Dai a reação à entrevista de Marinho.

Disse para a minha fonte: Obrigado pela dica. Vou atrás e ouvir o que Marinho disse, Mas me diga apenas a essência do que ele disse que pegou mal.

E o membro do MP me disse: “Ele foi questionado sobre os processos de improbidade em que é réu e passou a atacar pessoalmente os promotores. Falou da vida pessoal de um e acusou promotores criminais de abuso de autoridade. Sem citar nomes, disse que um é réu por isso. E uma afirmação dessa vem justamente quando o Crespo sinalizou que quer diálogo e inclusive se desculpar com o Orlando (promotor Orlando Bastos Filho). Lamentável para a cidade!”

Ouvi a entrevista de Marinho Marte aos colegas jornalista André Fazano e Fernando Guimarães. Por volta das 9h20, quando o assunto enveredou aos processos do qual Marinho é alvo e foi tema de reportagem do jornal Cruzeiro do Sul de hoje, o vereador disse que tais processos viraram notícia agora porque ele assume um cargo no Executivo, mas que esse novo momento não vai mudar a sua conduta: “se alguém imaginava que eu iria me curvar diante de latidos, se enganou. Só me curvo diante de Deus”.

Num outro momento, minimizando os 5 processos do qual é alvo, Marinho Marte afirmou que “em todos os lugares tem pessoas processadas.”

Numa referência mais direta aos promotores do Ministério Público de Sorocaba Marinho Marte afirmou que alguns se sentem “pseudo autoridade, mas tem vida particular perturbadíssima”. Mais adiante falou que “pau que bate em Chico, bate em Francisco”. Também afirmou que “são pessoas que não gostam de ser contrariadas”.

Quando se imaginava que Marinho iria diminuir o tom, ele voltou a subir ao analisar o comportamento de integrantes do Ministério Público e dizer que “tem gente no MP que se acha abaixo de Deus, senão Deus”.

Sem citar o nome, mas falando do promotor Orlando Bastos Filho, Marinho Marte lembrou que os vereadores José Crespo (DEM), ele e Francisco França (PT) viajaram para Brasília para representar contra o promotor de Justiça Orlando Bastos Filho no Conselho Nacional do Ministério Público. A intenção dos parlamentares é solicitar a abertura de processo investigatório disciplinar contra Bastos Filho junto ao órgão presidido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Os vereadores consideram que o promotor cometeu infrações ao investigar um suposto esquema de compra de votos na Câmara Municipal a partir de denúncias consideradas por eles falsas. Inicialmente a Corregedoria-Geral do Ministério Público arquivou representação formulada pelos 3 vereadores em que pediam a abertura de processo investigatório disciplinar contra o promotor Orlando Bastos Filho. O Conselho Nacional do MP remeteu o caso ao à Corregedoria-Geral do Ministério Público, em São Paulo. O órgão estadual, em outras duas oportunidades, já havia rejeitado representações semelhantes. Sobre isso, na entrevista de hoje, Marinho afirmou: “levamos 32 quilos de documentos contra esse promotor, mas prevaleceu o corporativismo no Ministério Público e eles arquivaram. Com isso as dúvidas sobre o desvio de comportamento e outros pontos permanecem sobre esse promotor”

Dai a reação de importante membro do Ministério Público de Sorocaba que me afirmou: “Marinho Marte falou um monte de bobagem hoje na Cruzeiro FM. Se o Crespo quer diálogo com o MP, começou muito mal”.

Comentários

Leia também