Sindicato dos Metalúrgicos celebra acordo que cria o 3º turno de trabalho na montadora Toyota em Sorocaba e amplia em 1057 as vagas de emprego na montadora loca, que passará a ter três mil funcionários

Em assembleia realizada na última terça-feira, dia 27 de fevereiro, os metalúrgicos da Toyota aprovaram os termos do acordo com a montadora Toyota de Sorocaba e cria o terceiro turno na montadora, gerando a criação de exatos 1.057 novos postos de trabalho na unidade de Sorocaba. Assim, a unidade local passa dos 2 mil para 3 mil funcionários, explicaram Leandro Soares e Izídio de Brito, respectivamente presidente e secretário de organização do Sindicato dos Metalúrgicos (SMetal) durante entrevista no Jornal Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje.

O acordo foi negociado com a direção da Toyota pelo Sindicato dos Metalúrgicos e o Comitê Sindical de Empresa (CSE).

Das 1.057 vagas previstas, 320 tratam da efetivação de funcionários que hoje estão trabalhando na empresa sob regime de contrato por prazo determinado. Outras 737 vagas serão preenchidas por novos funcionários.

As contratações vão viabilizar a produção do novo modelo Toyota, o Yaris, na planta da montadora em Sorocaba e manter a produção do Etios. A montadora planeja chegar a produzir 200 mil unidades com os dois modelos.

O Yaris deverá ser lançado em junho deste ano, mas o terceiro turno será implantado somente em novembro. As contratações, no entanto, devem começar em breve, pois a Toyota tem um processo de seleção e de treinamento próprios, que pode demorar meses.

A montadora só aceita currículos pela página oficial da empresa na internet: www.toyota.com.br (clique na opção “Trabalhe Conosco” no menu inferior).

Cadeira produtiva

Além dos 1.057 empregos diretos, a proposta aprovada pelos trabalhadores nesta terça-feira tem potencial para criar milhares de empregos indiretos. “Estimativas do setor automotivo indicam que, para cada vaga criada em uma montadora, podem ser gerados de 5 a 7 postos de trabalho na cadeia produtiva que atende a fabricante de veículos”, afirma Leandro Soares, presidente do SMetal.

Portanto, pelos cálculos do SMetal, os 1.057 empregos na Toyota podem significar mais de 5 mil outros postos de trabalho no setor, “muitos deles em Sorocaba e região, onde estão instalados vários fornecedores da Toyota, com os quais também estamos negociando”, ressalta Leandro.

Participação coletiva

Carlos Alberto Rodrigues da Silva, membro do CSE na Toyota ressalta: “os trabalhadores da Toyota estão de parabéns! É importante deixar claro que a proposta de geração de empregos só se concretizou porque o pessoal participou da negociação e aceitou os termos do acordo que muda as jornadas de trabalho”

“Cada um aqui [na assembleia] foi capaz de pensar não só no futuro dele, mas também na abertura de mais vagas de trabalho e no desenvolvimento da empresa”, comemora Carlos.

Briga política

Já Izídio de Brito, secretário de organização do SMetal, denuncia que “tem vereador usando a rede social para tentar assumir a paternidade dos novos empregos, o que é mentira. Ao invés de tentar ganhar créditos indevidos em cima das negociações metalúrgicas, deveriam providenciar mais segurança pública nas imediações da Toyota, onde volta e meia acontecem tentativas de assalto contra trabalhadores”. Ele não citou quem está fazendo uso dessa negociação.

FOTO: Leandro Soares, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba durante visita a uma das linhas de produção em fábrica da Toyota, no Japão, em 30 de junho de 2017

Comentários

Leia também