Suplente de vereador recupera direitos políticos, ia requerer vaga na Câmara de Sorocaba, mas muda de idéia após conversar com o presidente do seu partido e com a própria esposa

Com 1.699 votos obtidos nas eleições municipais de 2008, o comerciante Vítor Francisco da Silva, conhecido como Vitor do Super José, então no PTB, assumiu em 2011 o posto do deputado estadual Carlos Cézar da Silva (PSC), que se despediu do mandato de vereador em Sorocaba para iniciar as atividades legislativas na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

Na eleição de 2012, já pelo PRP, Vitor do Super José aumentou sua votação para 2554 e ficou como primeiro suplente do partido. Mas não levou a vaga quando Saulo do Afro Art”s no Legislativo de Sorocaba. Saulo perdeu o mandato e os direitos políticos após ser condenado pelo Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo por uso de documento falso. E não assumiu porque ele estava com os direitos políticos cassados por conta de uma condenação de furto de energia elétrica. Coube então a Wandelei Diogo, segundo suplente do PRP, assumir a vaga de vereador deixada por Saulo do Afro Art”s.

Tudo isso estava resolvido até a semana passada quando Vitor do Super José teve sua pena cumprida e restabeleceu seus direitos políticos. Ele tomou a decisão e requereu a vaga de primeiro suplente, tirando Wanderlei Diogo do cargo. Porém, na manhã de hoje (15/02), assim que anunciei esta informação na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) passaram a ser divulgadas novos dados que estão mudando o rumo dessa questão.

Conversei com Vitor do Super José no meio da tarde desta segunda-feira e ele disse que conversou com o presidente do PRP, José Hiran, e ficou propenso a não requerer mais o mandato de Saulo, deixando Wanderlei no cargo. Apesar de minha insistência, Vitor do Super José falou apenas que fez um acordo com o presidente, mas não me disse que tipo de acordo foi esse. Após minha insistência, ele disse que estava abrindo mão de pedir o mandato por causa da sua esposa. Segundo ele, sua esposa fica muito sobrecarregada de trabalho no supermercado que ambos são proprietários no bairro Mineirão em Sorocaba quando ele exerce o cargo de vereador.

Ao final da conversa, Vítor do Super José me falou que na noite desta segunda-feira iria refletir melhor para tomar a decisão de pedir ou não o mandato. Mas caso peça, será em São Paulo no Tribunal Regional Eleitoral e não na justiça eleitoral de Sorocaba onde ele já consultou e viu que a burocracia seria maior do que ir direto a São Paulo.

Quando assumiu o cargo, Vitor do Super José queria ser conhecido como o parlamentar da cultura, do esporte e do social e trabalhar pela construção de um novo Centro de Saúde no Parque São Bento; por um Centro de Referência do Idoso na Vila Nova Sorocaba; e uma Base Comunitária da Guarda Civil Municipal na praça com pista de caminhada da Vila Formosa. Não conseguiu nada disso. Uma lei de sua autoria é a obrigatoriedade em Sorocaba, sob pena aos clubes e afins, de permitir a prática esportiva somente o atleta que fizer exame médico. Cada exame tem validade de um ano.

Comentários

Leia também