Vereador que chamou professor de inculto é advertido

A Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara de Sorocaba concluiu que o vereador Irineu Toledo não quebrou o decoro na discussão que teve numa página de Facebook com uma professora da rede pública, no dia 14 de março. Na ocasião, o vereador foi acusado de dizer que os professores são incultos e ganham ótimo salário.

Para os membros da comissão, formada por Renan Santos (relator), Anselmo Neto (presidente) e acompanhada por outros parlamentares, Irineu Toledo mereceu uma sanção de advertência. Com isso o pedido de quebra de decoro será arquivado mediante uma retratação.

O vereador foi notificado dessa decisão, se mostrou satisfeito e assumiu o compromisso de fazer o pronunciamento se retratando na sessão de amanhã, dia 9 de maio.

O procedimento da comissão nasceu da denúncia do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, Salatiel Hergesel, entendendo que o vereador quebrou o decoro e seus comentários sobre a Educação, professores e os salários dos docentes que foram considerados ofensivos para a categoria.

Se teve final feliz para Irineu na Câmara essa discussão, o mesmo não se sabe o que vai ocorrer na justiça uma vez que a professora Madalena Roque da Silva Rodrigues moveu uma ação por danos morais contra ele e pede indenização de R$ 10 mil e publicação se desculpando como medida educativa.

Irineu Toledo afirmou à comissão que não ofendeu os professores e na discussão em uma rede social, após ter recebido ofensas, se referiu a “professores incultos”, mas alega que não falava de todos os docentes: “Eu apenas me referi a um tipo de professor e que pareceu aos professores uma generalização”, afirma.

Comentários

Leia também