Vice-prefeita de Sorocaba diverte-se no Carnaval da Sapucaí no RJ e anuncia encontro com empresários australianos interessados em conhecer projetos sociais locais e talvez contribuir com a cidade, mas que ela não sabe o nome deles e nem o que eles podem oferecer à cidade

A vice-prefeita de Sorocaba, que também é a secretária de Desenvolvimento Social da Prefeitura, Edith Maria Di Giorgi foi brincar o Carnaval do Rio de Janeiro e decidiu compartilhar em sua página pessoal do Facebook fotografias e comentários sobre essa sua experiência. A deputada estadual Maria Lúcia Amary, do mesmo partido da vice-prefeita, curtiu a postagem da vice-prefeita e lembrou a ela que sua cidade natal, Santos, foi uma das homenageadas por uma das escolas cariocas na Sapucaí. Mas entre as centenas de pessoas que curtiram ou compartilharam a página da vice-prefeita também haviam críticas. A principal delas pelo fato dela brincar o Carnaval no Rio e Sorocaba não ter tido desfile. A isso, Edith respondeu: “Não consigo ver a ligação entre as duas coisas. Infelizmente as condições não permitiram que neste ano houvesse o carnaval de rua na nossa cidade, e eu lamento isto, mas não tem nada a ver com eu ter ido ao sambodromo no Rio. Fui com meu dinheiro, e a minha ida não interferiu de forma nenhuma com a não realização do carnaval. Compartilhei a minha experiência no sambodromo com meus amigos do face e não vejo nada de errado, nem em ir e nem em compartilhar.”

Num outro momento, respondendo a um dos seus seguidores nas redes sociais, Edith Maria Di Giorgi deu uma informação que, certamente, será complementada quando ela estiver por aqui: “Trabalho muito e tento fazer o melhor possível e tenho direito de me divertir, mas na verdade também era trabalho pois era um encontro com empresários australianos que se interessaram em conhecer nossos projetos sociais e talvez contribuir.” As perguntas são: quem são esses australianos? Que projetos desejam conhecer? De qual forma eles podem contribuir com Sorocaba?

Ouvindo essas minhas colocações na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), a vice-prefeita resolveu entrar ao vivo no ar pelo telefone. E ao invés de esclarecer, se complicou ainda mais. Não tinha resposta a nada. Não sabia o nome do grupo de empresários australianos. Disse que é um grupo de empresários abastados que sai pelo mundo ajudando as pessoas como aconteceu no Quênia, na África. Disse que o grupo é liderado por um brasileiro que mora há 20 anos na Austrália, mas que ela também não sabe o nome dele. Disse que chegou a esse grupo por intermédio do seu assessor, César Barroso (com quem ela aparece na foto). Disse que esse grupo australiano já esteve no Parque Tecnológico de Sorocaba, mas foi ao encontro no Rio porque esse grupo não poderia vir a Sorocaba para formalizar a ajuda a cidade. Disse que encontrou o grupo num hotel do Rio de Janeiro para que ambos (ela e grupo) se conhecessem, mas que o grupo está no Brasil para investir na Amazônia. Disse que o grupo quis conhecer projetos sociais de Sorocaba, mas que existem cidades muito mais necessitadas do que Sorocaba para receber ajuda…

A verdade é o que a vice-prefeita de Sorocaba, Edith Maria Di Giorgi disse ao final: sua presença com empresários australianos no Rio de Janeiro não foi nada oficial, apenas um encontro casual, ocorrido ao acaso. Melhor, portanto, antes de entrar no ar, ao vivo, seria ela estar melhor preparada para dar respostas à sociedade. Sua participação ao vivo na rádio, como ouvi de uma colega, foi juvenil. Ou seja, amadora quando deveria ser profissional. Ficou ruim para ela e também para a imagem do governo. Uma pena. Vergonha!

Comentários

Leia também