Yby-Soroc: identidade, história e patrimônio

O conjunto de 20 painéis do artista plástico Pedro Lopes está prestes a ser tornar Patrimônio Cultural da Cidade de Sorocaba graças ao Projeto de Lei nº 101/2021, de autoria do vereador João Donizeti Silvestre, que já foi aprovado em duas discussões na Câmara Municipal e aguarda sanção do prefeito Rodrigo Manga.

A obra é intitulada “Yby Soroc, uma  homenagem de Pedro Lopes ao nome como a nossa localidade era chamada em 1530 quando por aqui chegaram os primeiros portugueses até que, posteriormente, em 1654 houve o primeiro registro da expressão Sorocaba. Tanto Yby Soroc quanto Sorocaba são expressões indígenas do tupi-guarani e significam “Terra Rasgada”, uma referência a fenda na qual a cidade se desenvolveu do ponto de vista geográfico.

O conteúdo do conjunto dos painéis (cada um mede 2,50m x 1,90m) retrata a história de Sorocaba, desde antes da fundação da Vila de Nossa Senhora da Ponte do Rio Sorocaba, por Baltasar Fernandes, em 1654, até episódios mais recentes da história da cidade, entre 1900 e 1915, como o assassinato do advogado sorocabano Joaquim Marques Ferreira Braga (1872-1911), o Dr. Braguinha, e a chegada da luz elétrica e do primeiro automóvel.

A forma de expressão do conteúdo acompanha diferentes fases dos estilos de arte como o barroco, por exemplo. O que transforma o conjunto das obras duplamente importante porque refletirem a história da cidade e a história da arte como um todo.

Os painéis foram produzidos entre 2001 e 2006 frutos da Linc (Lei de Incentivo à Cultura) e desde então se buscava uma solução para eles. Eu, como secretário da Cultura, não tive sucesso em sua destinação. Agora, o atual secretário municipal da Cultura, Luiz Zamuner, teve a ideia de que esse conjunto viesse a ser tornar Patrimônio Cultural da Cidade de Sorocaba e sugeriu ao vereador João Donizeti que isso acontecesse via projeto de lei do Legislativo e assim aconteceu.

Atualmente o conjunto de painéis faz parte do acervo do Macs (Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba) o que significa que ele está guardado seguindo todas as necessidades técnicas de sua preservação. Ao se tornar Patrimônio Cultural da Cidade de Sorocaba a municipalidade terá meios legais de dar ao público interessado acesso a esse conjunto artístico.

Pedro Lopes é sorocabano da rua Barlolomeu de Gusmão, na Vila Santana, onde voltou a morar, em uma casa que fica de frente para a Igreja Santa Rita. Ao lado de outras figuras iluestres, Pedro Lopes é um orgulho para o bairro, o mesmo onde nasci. Hoje, no programa O Deda Questão na radioweb 365 (https://www.youtube.com/watch?v=PZY1pN9ZUdk) tive a oportunidade de rever Pedro Lopes pessoalmente numa conversa que fluiu a ponto de nem percebemos a hora passar. Além desse novo momento de sua obra, falamos sobre a Semana de 1922, Maçonaria, Misticismo, História, Arte, enfim, sobre cultura. Vale a pena a ver.

Comentários

Leia também