A um mês de deixar o cargo, governador segura há três anos o funcionamento executivo da Agência Metropolitana de Sorocaba

Em junho de 2016 (portando há quase 2 anos) publiquei neste blog que o então prefeito Pannunzio, o deputado federal Vitor Lippi e a deputada estadual Maria Lúcia Amary (todos do PSDB) haviam fechado questão em outubro de 2015 sobre quem deveria compor a diretoria da AgemSor (Agência da Região Metropolitana de Sorocaba) e se imaginava que isso era suficiente para que o governador Alckmin assinasse o decreto dando o pontapé inicial as atividades da entidade que vai gerir, com orçamento próprio, as necessidades, interesses e articulações na Região Metropolitana de Sorocaba. Não foi. O governador sentou em cima da decisão e não trata do assunto desde então. Ele deixa o cargo no dia 6 de abril para concorrer a presidente da República sem resolver esta questão.

Tivesse a AgemSor, seguramente um tema como o que levou à criação da Frente Regional de Socorro à Saúde, teria uma articulação de respaldo mais técnico e mnos político como o que se verifica. De um lado os deputados estaduais vendo o seu espaço de atuação sendo invadido por vereadores de 36 cidades da região de Sorocaba e respondendo que eles deveriam cuidar da saúde de cada cidade. Do outro, vereadores dizendo  que se a saúde de Sorocaba vai bem, a da cidade deles também uma vez que os doentes um pouco mais graves são trazidos para cá.

Histórico da AgemSor

No dia 14/10/2015, o Portal do Governo do Estado, portanto órgão oficial do governador, trazia a foto acima com a nota “Agência Metropolitana de Sorocaba é oficializada pelo governo de SP”, onde se afirma: “Nós concluímos hoje a instalação da Região Metropolitana de Sorocaba com a Agência. Foi instalado o Conselho do Desenvolvimento Metropolitano, foi feito o Fundo da Região Metropolitana e já depositamos R$ 3 milhões e hoje é a última etapa que é a Agência, o instrumento operador da Região Metropolitana. A ideia é planejamento, sinergia, unir a Região, aproveitar melhor os recursos públicos e promover o desenvolvimento metropolitano”, disse o governador Geraldo Alckmin.

Leia a íntegra: O governador Geraldo Alckmin regulamentou na tarde desta quarta-feira (14) a Agência Metropolitana de Sorocaba (Agem Sorocaba). Desta maneira, o diretor executivo da Agência será responsável por promover a adoção gradativa das medidas necessárias para a efetiva implantação das unidades previstas no Regulamento aprovado por decreto, de acordo com as disponibilidades orçamentárias e financeiras da entidade.

Para fortalecer o desenvolvimento regional, também estão entre as vantagens da criação da RM Sorocaba, e agora da instituição da Agem, a melhor articulação do transporte público entre as cidades, o fim da cobrança de interurbano nas ligações telefônicas e a integração de ações de segurança pública entre os municípios.

“Nós concluímos hoje a instalação da Região Metropolitana de Sorocaba com a Agência. Foi instalado o Conselho do Desenvolvimento Metropolitano, foi feito o Fundo da Região Metropolitana e já depositamos R$ 3 milhões e hoje é a última etapa que é a Agência, o instrumento operador da Região Metropolitana. A ideia é planejamento, sinergia, unir a Região, aproveitar melhor os recursos públicos e promover o desenvolvimento metropolitano”, disse o governador Geraldo Alckmin.

A criação e regulamentação da agência é o último passo na criação da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). O Fundo Metropolitano, ligado à Agência, já começa com aporte de R$ 3 milhões do orçamento do Estado e contará também com participações proporcionais dos orçamentos dos municípios.

Região Metropolitana de Sorocaba

Criada em maio de 2014, a RM de Sorocaba é a quinta região metropolitana do Estado de São Paulo e nasceu de um projeto do ex-deputado estadual sorocabano Hamilton Pereira (PT). Considerada a maior produtora agrícola entre as regiões metropolitanas, com uma grande diversidade na produção, possui 26 municípios e aproximadamente 1,8 milhão de habitantes e mantém limite territorial com a RM de Campinas.

 

A Região possui 11 municípios localizados no eixo das rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares e economias baseadas em atividades industriais. O Produto Interno Bruto em 2012 chegou a R$ 48,7 bilhões, equivalente a 3,5% do PIB gerado no Estado. Destaca-se o município de Sorocaba, com um PIB de mais de R$ 19 bilhões em 2012, situado na 11ª posição da economia estadual.

Comentários

Leia também