Aonde o Pannunzio vai, a Iara vai atrás. Já foi assim com Arnô e Amary e Lippi e Crespo

O prefeito Pannunzio esteve hoje no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz), como faz quinzenalmente, e novamente a ex-deputada federal Iara Bernardi se manifestou. Ela ligou para fazer comentário sobre o conjunto habitacional Carandá. Soube que aonde Pannunzio vai, Iara vai atrás e faz algum tipo de crítica. Na Cruzeiro FM, na Cacique e na Band FM onde ocorreu um episódio marcante, Caju, coordenador do jornal, falou para a Iara que lá ela não ocuparia o microfone para se manifestar ao prefeito.

Pannunzio não é o primeiro a ter uma algoz. Mas até agora, certamente, é a que tem a mais leve dessas seguidoras.

Quando Renato Amary era prefeito, Arnô Pereira, então vereador do PT (hoje ele é do PSDB e assessor parlamentar de Vitor Lippi) iniciou uma perseguição sem fim a ele, perseguição essa que dura até hoje. Basta Renato Amary sinalizar que é candidato que lá vai Arnô na justiça fazer alguma contestação.

Quando Vitor Lippi era prefeito teve início a rivalidade com o vereador Crespo. Para se ter uma idéia, hoje em dia Vitor Lippi se defende de 38 ações na Justiça, desse total 35 ações foram impetradas por Crespo.

A relação Iara x Pannunzio; Arnô x Renato Amary; Crespo x Lippi é, do ponto de vista da psicologia, uma fixação, ou seja, se formou um hábito ou uma associação onde qualquer ato de um desperta o interesse do outro. Sinônimos disso são: interesse, estima, afeição, mania, obsessão.

Comentários

Leia também