Assessores e correligionários de dois dos pré-candidatos a prefeito de Sorocaba em outubro antecipam a rivalidade da disputa e trocam farpas e baixarias em minha postagem

Arnô Pereira, que foi vereador do PT e hoje é filiado ao PSDB e assessor nomeado na Câmara federal no mandado do deputado Vitor Lippi, e Júnior do Pitico que foi do PSDB e hoje é militante da campanha de Renato Amary do PMDB, protagonizaram a troca de farpas e baixarias em minha postagem “Delegada de polícia de Sorocaba, Jaqueline Coutinho, fica perto do PTB e a um passo de ser anunciada como a candidata a vice-prefeito pelo PMDB na eleição de outubro”. Acusações que não podem ser provadas. Tons exacerbados. Agressões. Ironias deram o tom agudo das acusações.

Renato Amary é declarado pré-candidato a prefeito. O PSDB esconde quem será de fato seu candidato, mas a gana com que Arnô se posicionou demonstra somente que o deputado Lippi (apesar de suas negativas) é o candidato tucano.

Seja como for, Itamar Júnior, simpatizante de Renato Amary, sintetizou a surpreendente baixaria dos assessores: “Parece que estão querendo antecipar as eleições em Sorocaba. Infelizmente optaram pelo caminho da baixaria, que a população não tolera mais (…) Não precisa ser assim. O debate é sadio e todos estamos dispostos ao entrechoque de ideias mas sem ofensas gratuitas e mentirosas (…) A transparência favorece a todos (…)”.

A 9 meses das eleições e a 7 meses do início da campanha eleitoral, essa troca de farpas é um sinal do que está por vir.

Comentários

Leia também