Começa a ser desatado o nó da escolha do próximo prefeito de Sorocaba. Uma conversa com um jovem eleitor ajuda a explicar esse processo

ErickAugusto

A ausência de dois campeões de votos nesta eleição, como são os casos de Renato Amary e Vitor Lippi, ainda não foi bem digerida pelo eleitor sorocabano.

Tenho buscado entender a cabeça desse eleitor diante dessa nova realidade e da proximidade cada vez maior da eleição, que acontecerá daqui a 33 dias.

Conversei com Érick Augusto, 27 anos, um jovem que estava decidido a votar no Renato Amary e com a desistência dele pensou em votar em João Leandro porque não gosta do Crespo. Ele disse que assistiu ao programa de TV de João Leandro e ouviu uma parte do debate do jornal Cruzeiro do Sul, mas não sentiu confiança no candidato. Ele acha que João Leandro esconde demais que faz parte do governo que está ai. Ele me explica que João Leandro não tem coragem de falar que é do Pannunzio, ou seja, ele mente ao tentar esconder isso, me afirma Érick.

Meu jovem entrevistado está, agora, pensando em dar o seu voto ao Raul Marcelo, embora tenha gostado do que ouviu do Glauber no debate: “Na hora me lembrei de uma entrevista que você fez com ele (foi na coluna O Deda Questão do Jornal da Ipanema – FM 91,1Mhz no dia 28 de março de 2016). Já tinha gostado dele naquela entrevista, mas nem lembrava mais dele. Mas ao ouvir ele no debate achei bom, mas o PT está queimado”.

A conversa continua e ele me afirma: “Só sei que não quero votar no Crespo, não tenho confiança no João Leandro, pensei em votar no Glauber, mas o PT não merece e talvez em vote no Raul, ao menos ele bota um fim de 20 anos do PSDB. Acho que chegou a hora”.

Perguntei ao Érick sobre o Hélio Godoy e ele disse que não chamou a atenção dele até agora.

Perguntei porque ele não vota no Crespo já que estava decidido a votar no Renato. Ele me disse: “por que eles não são iguais e não é motivo votar em um candidato só porque alguém pediu”. Érick faz uma ressalva e me disse também: “mas sei que muita gente não pensa assim, por isso o Crespo está na frente”.

Desse diálogo, julgo importante ressaltar três pontos: 1) meu jovem entrevistado usou a expressão “talvez” (dúvida, portanto não é voto cristalizado); 2) ele está decidido a ouvir mais debates e ver o programa de TV de novo para decidir sobre seu voto; 3) embora ele não vote num candidato indicado por outro, admite que muita gente faz isso. Ele disse isso em relação a Renato Amary e Crespo, mas obviamente que também serve para Vitor Lippi e João Leandro.

Para não ter dúvida da minha postagem, pedi que Érick lesse meu texto. Ele leu e disse que é isso mesmo o que está passando pela cabeça dele no momento. Ele autorizou a publicação e disse que espera que a opinião dele ajude outras pessoas que estão passando pelo mesmo processo de decisão do voto. Érick trabalha com redes sociais e locução na rádio Ipanema e  mora da região da Vila Helena, na zona norte de Sorocaba. Já votou em Ruby e Saulo do Afro Arts (ambos cassados quando vereadores) e está decidido a votar em um vereador que não seja mais de bairro. Para prefeito, em 2012, votou em Renato Amary.

Comentários

Leia também