Comissão de Ética da Câmara vai à corregedoria do MP contra o promotor que investiga a compra de votos na eleição de presidente do Legislativo sorocabano

O vereador José Crespo, presidente da Comissão de Ética da Câmara de Vereadores de Sorocaba, recebeu a representação firmada pelo promotor Orlando Bastos Filho, contendo a denúncia de que estaria havendo compra e venda de votos para a Mesa Diretora, acusando sete vereadores. Fato informado com exclusividade por este blog e pela coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz).

Crespo reuniu todos os vereadores, incluindo os da Comissão de Ética, e os acusados prestaram depoimento e negaram taxativamente qualquer conhecimento ou participação em atitudes como a denunciada.

 

A Comissão de Ética pretendeu fazer contato e ouvir o denunciante cidadão João Francisco Queiroz, RG 13.704.067 e verificou que o promotor não colheu o endereço ou outros dados que permitissem localizá-lo; diante disso, Crespo recorreu ao Delegado Seccional, Marcelo Carriel, que prontamente acessou aquele RG no sistema policial e verificou que era falso, ou seja, aquele número pertence a outra pessoa, residente em São Paulo capital.

Diante disso, na avaliação da Comissão de Ética, “ficou demonstrada que a denúncia era vazia, inconsistente, e foi designado o vereador Pastor Apolo para redigir o Relatório, que deverá arquivar o caso”. Crespo lamentou que o promotor Orlando Filho não tenha tomado os cuidados exigidos pela legislação regente, endossando uma acusação falsa e sem qualquer embasamento, e pretende ingressar com reclamação contra ele na Corregedoria do MP, nos próximos dias.

O promotor público Orlando Bastos Filho abriu o inquérito (instrução provisória, preparatória, destinada a reunir provas à apuração da prática de uma infração penal) e os acusados terão prazo de dez dias para se defender e o promotor, a partir de então, terá o tempo que julgar preciso para arquivar o inquérito ou apresentar denúncia (ai com provas contra os acusados) à justiça.

Comentários

Leia também