Coordenadora da Apeoesp em Sorocaba nega que tenha feito gravação que orienta alunos que ocupam escola. OAB explica sua posição no caso

Na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) da manhã de hoje coloquei no ar uma gravação com pouco mais de 3 minutos onde uma mulher orienta como os alunos devem proceder diante da decisão do  juiz da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Sorocaba, José Eduardo Marcondes Machado, que concedeu prazo de 24 horas, para a desocupação de 17 das 19 escolas estaduais de Sorocaba que seguem tomadas por alunos. Alguns atribuíam à gravação como sendo de Magda Souza, coordenadora da Apeoesp (Sindicato dos Professores da Rede Pública Estadual). Eu disse isso e ela telefonou à rádio e entrou ao vivo para dizer que não era dela a voz contida naquela gravação e que ela não reconhecia a voz. Sobre o conteúdo da gravação, bastante didático de como os alunos deveriam agir (um aluno menor de idade atender o oficial de justiça e não assinar papel ou dar identificação; alunos maiores de idade se esconderem no banheiro quando da presença do oficial de justiça; professores deixarem as escolas ocupadas…), Magda Souza disse que não tinha senão. Ela epans enfatizou que não poderia ser imputada a ela tal gravação.

Alexandre Ogusuku, presidente da OAB-Sorocaba, explicou que a entidade compreende que decisão judicial é para ser cumprida e que a OAB não está dando nenhuma orientação seja para a Apeoesp ou para alunos, mas admitiu que isoladamente algum advogado possa fazer isso. Sobre o cumprimento do mandado da justiça, Ogusuku enfatizou que o papel da OAB é acompanhar e ver se Polícia Militar, Conselho Tutelar, Oficial de Justiça estão agindo sem cometer excessos e rigorosamente dentro da lei.

A Apeoesp busca liminar para que a decisão do juiz de Sorocaba seja revogada pelo Tribunal de Justiça. Até domingo eram 21 escolas ocupadas em Sorocaba, mas domingo alunos de duas escolas desocuparam os prédios.

O imbróglio começou quando o governo do Estado, sem debate, decidiu fechar 93 escolas em todo o estado e concentrar os estudantes por ciclos, ou seja, haverá unidade escolar apenas para alunos de 1º a 5º série, outro tipo de unidade apenas para alunos de 6º a 9º série e por fim unidade apenas para o Ensino Médio. Hoje uma mesma unidade abriga alunos de diferentes séries. O exemplo mais tradicional de Sorocaba é o Estadão, escola do início do século 20, que deixaria de ter o Ensino Médio, o que o tornou um dos mais emblemáticos colégios do estado.

Comentários

Leia também