Entenda os embates que estavam sendo travados entre o prefeito e a secretária de Educação que culminaram o pedido de exoneração do cargo de Marta Cassar. Oficialmente ela sai por motivos pessoais

Ficou incontornável a situação da professora Marta Cassar à frente da secretária de Educação da Prefeitura de Sorocaba e ela pediu exoneração do cargo na tarde de hoje diante da resistência do prefeito em permitir que ela fizesse na sua gestão na pasta o que queria em referência a apenas um ponto: chamar professores e auxiliares de educação já aprovados em concurso e que estão na fila de espera para serem chamados. O prefeito concorda com a tese de Marta de que isso é necessário, porém explicou que isso terá um impacto na folha de pagamento que ficaria insustentável. Na contrapartida, a assinatura de um contrato da empresa que faz a limpeza das escolas municipais, que era desejo do prefeito que Marta assinasse, ele não queria assinar.

Marta é excelente pedagoga e fazia um trabalho exemplar, mas a falta de jogo político começava a criar problemas ao prefeito. Essa explicação ouvi de pessoa ligada aos bastidores do Palácio dos Tropeiros que, completou: o prefeito ficou chateado com o desfecho, ele acreditou até o final que conseguiria manter a secretária.

Saída amigável

No começo da noite, por meio de Nota Oficial, a Prefeitura informou “que a secretária da Educação, Marta Cassar, entregou o seu pedido de exoneração ao prefeito José Crespo, na tarde desta quarta-feira (14), por motivos pessoais. O novo titular da pasta será definido nos próximos dias”.

A verdade é que Marta assumiu o compromisso de não sair atirando no governo, e nem dando detalhes do embate pelo qual vinha passando, e o prefeito também apenas lamentaria essa decisão pessoal dela ter pedido para sair.

Comentários

Leia também