Prefeito diz ao vivo em entrevista que “notícias falsas, que deliberadamente estão sendo disseminadas nas redes sociais contra o seu governo, são coisas do diabo”. E clamou: “me deixem trabalhar, parem de firula”

O prefeito Crespo afirmou hoje que toda a manifestação dos últimos dias a respeito de possível terceirização da saúde em Sorocaba “é fruto de gente maldosa que distorceu uma fala do secretário da saúde, médico Ademir Watanabe, em entrevista à rádio Cruzeiro”. O prefeito disse que ouviu o que o secretário disse e ele “foi correto e objetivo em suas colocações”. O problema, então, explicou o prefeito, “são as fake News (notícias falsas) que estão sendo deliberadamente disseminadas nas redes sociais contra o meu governo, são coisas do diabo”. Por mais de uma vez o prefeito clamou: “Me deixem trabalhar, parem de firula e mimimi” e concluiu: “são pessoas que ao invés de ajudar só ficam fazendo confusão”. Todas essas declarações foram feitas ao vivo durante a entrevista dele à rádio Cruzeiro.

Num outro trecho da mesma entrevista de hoje, o prefeito voltou a clamar, dessa vez usando a terceira pessoa: “deixem o prefeito trabalhar, no caso eu, por que ele foi escolhido pelo povo na eleição de 2016”. O prefeito insistiu que são “pessoas que torcem para o jacaré e querem boicotar o governo”. Coube ao próprio prefeito afirmar que a confusão, a torcida pelo jacaré, o uso das redes sociais é de pessoas adversárias, e não a Câmara Municipal ou algum vereador em específico. A explicação acabou sendo importante uma vez que o presidente da Câmara, Rodrigo Manga, gravou vídeo em sua rede social para criticar o fechamento de PA (Pronto Atendimento) e o vereador Hudson Pessini usou a tribuna para dizer que os vereadores não inventaram nada, uma vez que nasceu da entrevista de Watanabe o temor do fechamento de PA.

Dia 11 de abril

O prefeito já agendou para o dia 11 de abril sua ida na Câmara de Vereadores e não vai antecipar o anúncio das mudanças que pretende fazer na saúde municipal, mas deixou claro que elas nasceram de relatório feito pela Ouvidoria da Prefeitura (leia postagem anterior). Na entrevista de hoje, porém, ele foi taxativo: “não é terceirização, mas gestão compartilhada o que deverá acontecer, ou seja, o planejamento, controle e fiscalização será da prefeitura e a execução de uma Organização Social como preconiza a legislação, quem falar algo diferente disso estará mentindo”, afirmou.

Comentários

Leia também