Não resta mais nenhuma dúvida de que o clima de irmandade entre Pannunzio e Crespo acabou. Um não cita TAC e o outro desconfia do rompimento do contrato da merenda

Ainda durante a entrevista na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje (24/02), o prefeito Pannunzio comunicou a população da inauguração da creche ao lado do Terminal Santo Antônio de Ônibus Urbano. O prfefeito estava indo embora quando o questionei sobre o fato dele não ter citado o vereador Crespo, uma vez que essa creche é fruto de um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) entre a Prefeitura, Shopping Pátio Cianê e Ministério Público quando da autorização da construção do shopping no local. O prefeito falou que respeita pessoalmente Crespo, mas não concorda com a prática adotada por ele na condução de sua vida política partidária. Crespo e Pannunzio são amigos antigos. O pai dos dois foram prefeitos e as famílias sempre muito ligadas. Crespo foi o candidato a prefeito da sucessão de Pannunzio e ambos fizeram dobradinha quando concorreram aos cargos de deputado federal e estadual.

O que exemplifica a afirmação de Pannunzio sobre o comportamento de Crespo é sua desconfiança sobre tudo.

No primeiro mês de governo, foi a vinda do extinto programa de humor CQC no quadro Proteste Já, cobrando de Pannunzio obras deixadas para trás por seu antecessor Vitor Lipppi (foto).

Três anos depois, hoje à tarde, via assessoria, Crespo mantém a  desconfiança sobre Pannunzio. Hoje ele cobra informação do rompimento de contrato da merenda escolar feita por Pannunzio: “O recente rompimento de contrato da merenda escolar entre a empresa ERJ e a Prefeitura de Sorocaba, e a assinatura emergencial de uma nova transação com a Apetece Sistemas de Alimentação S/A levaram o vereador José Crespo (DEM) a encaminhar o Requerimento 190/16 ao Paço, solicitando informações acerca desses procedimentos”, informou a assessoria do vereador.

A nota ainda informa que Crespo “pede ao prefeito Antonio Carlos Pannunzio a cópia do último contrato que vigeu com a ERJ e o termo de rescisão, contendo a fundamentação jurídica e administrativa dessa decisão, além de cópia de todos os documentos pregressos que a embasaram”. E “requer, ainda, quais os valores foram pagos à empresa ERJ durante os últimos 12 meses, mês a mês, e quantas refeições foram servidas aos jovens em razão desses pagamentos”.

Por fim, Crespo indaga “qual o processo de seleção e definição para a contratação da empresa Apetece Sistemas de Alimentação S/A e quais os valores a Prefeitura pagará mensalmente, assim como a quantidade de refeições que justificará esses pagamentos, e um comparativo entre a refeição fornecida pela antiga empresa e a nova, incluindo o valor de cada refeição”.

Comentários

Leia também