Para Luís Santos, Iara faltou com o decoro ao mandar ele calar a boca

Me dirigi ao vereador Luís Santos para colher dele o seu posicionamento sobre o bate-boca com a vereadora Iara Bernardi na sessão de hoje.

Para ele, o que a vereadora fez “foi uma falta de decoro por parte da vereadora Iara: Chegar no púlpito onde é espaço de apenas um vereador, arrancar microfone, mandar eu calar a boca… Isso é absurdo!”

Lembrando que decoro é “a conduta individual exemplar que se espera ser adotada pelos políticos, representantes eleitos de sua sociedade. O decoro parlamentar está descrito no Regimento Interno” da Câmara de Vereadores.

Para o vereador, está existindo um comportamento cristofóbico (aversão a Cristo) por parte da esquerda, é o que ele chamou de “a ditadura LGBT” e “se estão achando que agora, que o STF (Supremo Tribunal Federal) se pronunciou pela criminalização da homofobia, eles podem calar a boca de qualquer pessoa… Isso nós não vamos aceitar e seguiremos em nossa luta doa a quem doer”.

Íntegra da fala de Luís Santos

A vereadora Iara se excedeu, ultrapassou os limites do que é adequado dentro de um relacionamento aqui dentro da Casa Legislativa. Quantas vezes eu fico no meu lugar escutando pronunciamento do pessoal de esquerda que eu sou totalmente contra, mas escuto. Agora uma colega vereadora achar que tem a liberdade enquanto eu estou mostrando, provando, que está havendo um comportamento cristofóbico numa escola pública, eu encaminho requerimento solicitando que os cursos sejam amplos contra as questões de bullyng e de preconceito e não discriminatório contra outros grupos porque isso está sendo feito para proteger o público LGBT como se só eles enfrentassem problema. Não é. Nós temos os deficientes mentais, físicos, os anões, os gordos, evangélicos, enfim, temos muita gente que sofre também o preconceito. E provei a questão que a professora colocou inseriu dentro de uma prova e uma menina que é cristã reagiu dizendo que não concordava que aquela questão dizendo que se um exame de DNA provasse que a criança nascia gay. Olha que premissa absurda. Isso não existe. Como é que os cristãos se posicionariam contra isso. Eles podem com base na religiosidade tomar posicionamentos. Ou seja, a idéia por detrás de tudo isso é lançar a classe contra os cristãos. Isso está errado. Por que uma questão dessas numa prova de Sociologia do 2º grau!

Agora, a vereadora, entender de forma totalmente atravessada, como é próprio do pessoal da esquerda, de que eu estou com pronunciamento homofóbico, de discurso de ódio, é aquela ladainha deles, da esquerda, para tentar se vitimizar. E seu eu fosse me vitimizar! Se tem alguém que podia se vitimizar era eu: sou definciente físico, sou nordestino, já fui mandado embora dessa cidade, já sofri bullyng, e estou aqui.

Agora, que foi uma falta de decoro por parte da vereadora Iara, isso foi. Chegar no púlpito onde é espaço de apenas um vereador, arrancar microfone, mandar eu calar a boca…. O que que ela é melhor do que alguém, só porque foi deputada federal. Isso é um absurdo que aconteça. Simplesmente, eu entendo, ela extrapolou os limites da educação, do respeito e de um sadio relacionamento que deve caracterizar a discussão dentro da Casa do Povo. A Câmara é assim mesmo. E eu sou um vereador conservador, que fui eleito por um público conservador que espera que eu defenda os princípios cristãos e eu defendo mesmo, todo mundo sabe disso. Nunca neguei isso para ninguém. Agora imagina se na rádio eu estou expondo a minha opinião e ela vem e arranca o microfone porque não concorda com minha opinião! Isso é um absurdo!

Por fim, essa situação precisa ser explicitada no sentido de que nós, conservadores e cristãos, não vamos aceitar essa ditadura LGBT. Eles estão achando que agora, que o STF (Supremo Tribunal Federal) se pronunciou pela criminalização da homofobia eles podem calar a boca de qualquer pessoa. Isso nós não vamos aceitar e seguiremos em nossa luta doa a quem doer.

Outra coisa, a vereadora sobe a tribuna e diz que não vai permitir que alguém use a tribuna para um discurso diferente… quem é ela para me impedir! Imagina que horror. Quem pode falar isso para um colega vereador que expõe um pensamento que não é só seu, mas de todos os seus eleitores.

Quero que a vereadora ou qualquer outro prove que qualquer dia eu agredi alguém, menosprezei alguém, se algum dia tratei alguém de forma desrespeitosa, seja LGBT, seja qualquer pessoa, em qualquer situação, nessa cidade, se agi de forma contrária aos meus princípios cristãos. Isso eu quero que eles provem. Vir mentir que eu fiz um discurso contra uma transsexual, é mentira.

Para finalizar, o discurso da vereadora Iara foi totalmente aos bons princípios de relacionamento. A não ser que ela seja discípula direta da senhora Maria do Rosário que vem fazendo aqueles vexames lá no congresso e que parece que a Iara quer copiar aqui

Comentários

Leia também