Para presidente da Câmara, conversa vazada de WhattsApp de grupo de secretários, é infantilidade de secretário de Relações Institucionais que faz ele perder a credibilidade e o respeito junto aos vereadores

Na noite de quarta-feira os vereadores Rodrigo Manga, presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Sorocaba, e Hudson Pessini, receberam a cópia de uma conversa mantida no Grupo de Secretários Municipais no qual fazem parte não apenas o total dos secretários, como também alguns assessores, a vice-prefeita Jaqueline Coutinho e obviamente o prefeito Crespo.

Numa das conversas, a fotografia de um grupo de Burros supostamente postada por Flávio Chaves, secretário de Relações Institucionais, responsável pela relação entre Câmara e Prefeitura, se refere à oposição.

Numa outra imagem, a conversa pede a demissão de funcionários públicos ligados aos vereadores Manga e Pessini.

Havia um temor sobre a forma de tornar pública essa conversa de modo a proteger quem revelou aos vereadores o conteúdo do que foi conversado no grupo de secretários, especialmente, pelo fato público do vereador Hudson Pessini ter um relacionamento pessoal (namorado) com a vice-prefeita, que faz parte do grupo. Não sendo ela quem divulgou, poderia se passar essa impressão equivocada. Além disso, o secretário de Mobilidade, presidente da Urbes, Luiz Carlos Franchin, é bem próximo de Manga. O secretário de Desenvolvimento, Róbson Coivo, é bastante próximo do vereador Luís Santos. O secretário de Obras, Fábio Pilão, é bastante ligado ao vereador Pessini. Assim como outros secretários são próximos de outros vereadores.

Enquanto acontecia hoje pela manhã a sessão da Câmara, as conversas começaram a circular entre vereadores e seus assessores embaralhando, assim, qualquer possibilidade de se descobrir a origem do vazamento.

Assunto pequeno

Conversei com Rodrigo Manga a respeito desse vazamento e ele entende que o secretário de Relações Institucionais falava, sim, dos vereadores quando falou de oposição burra e citou ele e o colega Pessini. Ele, em momento algum, demonstrou dúvida sobre a veracidade do material vazado, mas amenizou dizendo que é um assunto pequeno e não é motivo para guerra entre o Executivo e o Legislativo.

“No começo, quando o vazamento viralizou entre os vereadores na sessão de hoje, Flávio Chaves tentou desconversar. Mas tem gente lá no grupo de Whattsapp dos secretários que começou a mandar para vários vereadores. Aí o Flávio Chaves foi embora, sumiu de lá, e não vi mais ele. Eu acho que isso é pequeno. É infantilidade dele e o Flávio Chaves perde uma credibilidade junto à Câmara. Não precisa ter uma guerra… uma briga… porque acho que isso é pequeno demais. Mas o Flávio Chaves perde o respeito para com os vereadores”.

Comentários

Leia também