Presidente do sindicato dos servidores de Sorocaba entra para a história com a greve

Quando anunciada a greve dos servidores públicos municipais de Sorocaba, e mais ainda, quando o anúncio da greve chegou a um ponto que não tinha mais como voltar atrás, afirmei que Salatiel Hergezel entraria para a história do sindicalismo sorocabano. Fosse pelo fiasco do movimento, fosse pelo sucesso. A paralisação de hoje, que para alguns atingiu a concentração de 4 mil servidores no estacionamento do Paço Municipal, mostra que ele está na história pelo sucesso de ter conseguido expressiva adesão dos servidores ao seu chamado de greve. Em que pese o fracasso no objetivo principal da paralisação, que é o de conseguir ao menos a reposição da inflação para os servidores, só o fato de parar faz de Hergezel o único líder capaz de ter feito isso no serviço público municipal. Leio nos arquivos que em 1992 (por coincidência quando o Brasil também discutia o impeachment de seu presidente como agora) , o então presidente Bistão, também liderou uma greve dos funcionários públicos municipais, mas nenhum registro dá a dimensão da paralisação como este visto hoje.

Comentários

Leia também