Vereador sugere venda de bens públicos para que a Prefeitura de Sorocaba tenha dinheiro

Não é informação de bastidor. Não é o que ouvi falar. É uma manifestação oficial (relise) do  vereador Muri de Brigadeiro (PRP): para fazer frente à crise econômica que assola o país e afeta o município ele propõe a venda de terrenos e imóveis da prefeitura.

Para isso, Muri protocolou requerimento na Câmara Municipal sugerindo ao Executivo a venda dos terrenos e imóveis públicos sem uso e destinação na cidade. “Como a Prefeitura de Sorocaba possui diversos terrenos e imóveis espalhados pela cidade, muitos deles sem uso e sem destinação, estamos propondo que eles sejam vendidos para que a Prefeitura possa saldar seus compromissos, diante da crise que se abate sobre o país”, argumenta o vereador.

O parlamentar sugere que as áreas sejam postas à venda através de processos licitatórios e que os preços dos lotes sejam definidos com base em laudos e avaliações imobiliárias. “Também estamos sugerindo que o dinheiro arrecadado com a venda dessas áreas seja utilizado na execução de projetos importantes para o município, principalmente na área de saúde”, afirma Muri de Brigadeiro, acrescentando que a venda das áreas deverá ser feita à vista.

Em seu requerimento, Muri de Brigadeiro sugere, ainda, que os terrenos passem por análises das Secretarias de Meio Ambiente, Planejamento e Fazenda, com o objetivo de comprovar a inviabilidade de sua utilização pelo poder público. O vereador observa que muitos lotes que são inaproveitáveis para a edificação de quaisquer obras públicas, podem ter muita utilidade para particulares, que poderão adquiri-los com o objetivo de construir ou ampliar suas residências.

Muri de Brigadeiro salienta que algumas prefeituras estão adotando esse tipo de medida com o objetivo de equilibrar suas finanças e dá como exemplo a Prefeitura Rio Preto, no interior de São Paulo, que, no final do ano passado, propôs a venda de 474 áreas do município com o objetivo de arrecadar R$ 130 milhões, enquanto a Prefeitura do Rio de Janeiro está propondo a venda de áreas públicas na Barra da Tijuca, com a meta de arrecadar R$ 80 milhões. Por Assessoria de Imprensa – Vereador Muri de Brigadeiro/PRP.

Comentários

Leia também